CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

3 de outubro de 2011

Academia Amazonense de Letras: eleições

Hoje, 3 de outubro, haverá eleições gerais no silogeu amazonense. Essa data, no século passado e por décadas, foi consagrada às eleições gerais no país (em nossos dias, o tribunal escolhe os domingos para tal compromisso).


A intenção da diretoria da Academia seria completar suas 40 Cadeiras, escolhendo os sucessores de Anísio Mello, Ruy Lins e Demosthenes Carminé. Seria, porque no domingo passado, 25 de setembro, morreu no Rio de Janeiro o poeta Alencar e Silva. Assim... haverá nova eleição este ano?

Pesquisas indicam que será mínima a contenda. Apenas a sucessão da cadeira 17 indica uma disputa entre três candidatos: Rita Bernardino (da reserva do Exército, bacharel em Direito pela Ufam, autor de livros sobre o ecoturismo (com tradução em vários idiomas) e dono do Ariaú Tours. Geraldo dos Anjos é outro concorrente: formado em biblioteconomia pela Ufam, autor de livros sobre a matéria, e presidente do IGHA. O terceiro candidato, e possível zebra, são os votos em branco.
Arthur Virgilio Neto

Na cadeira 3, de Gonçalves Dias, sucedendo ao multiartista Anísio Melo, será sagrado o ex-senador Arthur Virgilio Neto, conhecidíssimo político amazonense que, derrotado para o senado nas últimas eleições, exerce ora cargo diplomático em Portugal. Seus pronunciamentos senatoriais angariaram-lhe o beneplático da Casa de Adriano Jorge. Outra razão singular é sua ascendência. Seu avô, desembargador Arthur Virgílio (1884-1943), ocupou a Cadeira 17, de Tobias Barreto.

Na Cadeira 32, de Bernardo Ramos, assume Renan Freitas Pinto, professor doutor da Universidade Federal do Amazonas, sequenciando ao economista Ruy Lins. Sociólogo e cientista social, Renan é autor de respeitadas obras. Exerceu, na última gestão da Ufam, a direção da Edua (Editora da Universidade do Amazonas).

Vida longa aos novos “imortais”.