CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

4 de outubro de 2011

ACADEMIA AMAZONENSE DE LETRAS: ELEIÇÕES

Cumprindo a perspectiva dos resultados, a Cadeira 3, do poeta Gonçalves Dias, terá como ocupante o diplomata Arthur Virgílio do Carmo Ribeiro Neto, nascido em Manaus, em 1945. Sua carreira política é bem conhecida dos amazonenses, pois dirigiu a prefeitura de Manaus e representou o povo na Câmara Federal. E dos brasileiros, pela sua intrépida conduta à frente da oposição nacional, enquanto senador pelo Amazonas (2002-2010).

O novo acadêmico integra algumas famílias que já emplacaram mais de um membro na Casa de Adriano Jorge. Como a família Bittencourt (Agnello, Ulisses e Uchoa); Araújo (Araújo Filho e André Araújo); Arthur Virgílio (avô e neto); Lima (Araújo e Cláudio); Menezes (Aderson e Armando); Braga (Roberio e José); Péres (Leopoldo e Jefferson); Ypiranga Monteiro (avô e neto); Mourão (Octavio e Mazé).

Sócios do IGHA em confraternização
Na cadeira 17, o Silogeu espantou a zebra e elegeu ao Geraldo Xavier dos Anjos, ampliando desse modo o índice dos membros da Casa de Bernardo Ramos com assento nas poltronas azuis. São eles: Roberio Braga, Max Carphentier, Arlindo Porto, Francisco Gomes, Armando de Menezes, Antonio Loureiro, Bernardo Cabral, Almir Diniz, Abrahim Baze, Almino Afonso, Claudio Chaves, Rosa Brito, Marilene Corrêa.

Finalmente, a cadeira 32, do patrono Bernardo Ramos, pertence ao doutor Renan Freitas Pinto. Nascido em Pernambuco, reabre a representação deste estado na AAL, que foi marcante na fundação desta assembleia de literatos. O eleito edificou sua carreira na universidade, sendo doutor em sociologia, constituindo a figura notória e respeitada na categoria.
Renan F. Pinto

Diante do resultado da eleição, quando mais dois amazonenses vêm consolidar a presença cabocla na AAL, apenas seis acadêmicos são ali “estrangeiros”: Jorge Alauzo Tufic (AC), William Antônio Rodrigues (MG), Mário Augusto de Moraes (PA) Dom Luiz Soares Vieira (SP), Zemaria Pinto Figueiredo (PA), e Renan Freitas Pinto (PE).