CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

13 de novembro de 2012

LIVROS PUBLICADOS EM MANAUS (1900-60) 5ª Parte

Anísio Jobim
Tomei a iniciativa de listar os livros que foram publicados em Manaus, no século passado. Para facilitar a exposição, limitei a busca ao período de 1900 a 1960. Abaixo, outra curta amostra.

1934

Hemetério Cabrinha publica Caim: poemeto bárbaro. [sem indicação de editor] e com apenas 10p.  
Anísio Jobim, desembargador, lança dois livros: A intelectualidade no extremo norte, editado pela Livraria Clássica, e Codajás, pela Tipografia Fênix.
Paulo Eleutherio, pertencente ao IGHA e à Academia Amazonense de Letras, produz A caminho de novos rumos, pela Editora Sérgio Cardoso.
Arthur Cezar Ferreira Reis, já consagrado com o lançamento de História do Amazonas (1931), prossegue com Manaus e outras vilas, pela Tipografia Fênix, com 144p.


Péricles Moraes
Os livros acima se encontram no acervo da Biblioteca Pública do Amazonas. Não se tem possibilidade de consultar, visto que esta se encontra em reparos, há mais de cinco anos, e sem prazo para a abertura.

 
1935

Péricles Moraes, legendário presidente da Academia Amazonense de Letras, lança Legendas & águas-fortes (ensaios críticos). Outro trabalho gráfico da Livraria Clássica, com 284p, existente na biblioteca Mário Ypiranga.
Paulo Sarmento. Sulamita (poema em um ato). Artes Gráficas, 35p. (sem maiores dados, pois este livro pertence à Biblioteca Pública)
 
1938

Felix Valois Coelho, membro do silogeu amazonense, lança seus poemas em livro intitulado Arranhões. Trabalho elaborado pela Imprensa Oficial (ver na Biblioteca Pública).
Djalma Batista, conhecido cientista, escreve Letras da Amazônia, editado pela Palácio Real (acervo da Biblioteca Pública).
Anísio Jobim, desembargador, segue com a coleção Panoramas amazônicos: IV - Moura. Trabalho gráfico da Tipografia Phenix (depois Fênix), com 155p., (existente na biblioteca Mário Ypiranga)
Luiz da Cunha Costa. Determinação da idade (tese de concurso à cadeira de Medicina Legal da Faculdade de Direito do Amazonas). Elaborado pela Papelaria Velho Lino, de Lino Aguiar, com 62p., (também existente na biblioteca Mário Ypiranga).