CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

24 de novembro de 2012

SEMINÁRIO DE HISTÓRIA MILITAR

Nos últimos dois dias – 22 e 23 – o Comando Militar da Amazônia (CMA) realizou o I Seminário de História Militar da Amazônia Brasileira (I Sehma), realizado em seu próprio aquartelamento central.

Folder de divulgação
Participaram deste encontro, como debatedores, os doutores Auxiliomar Ugarte, Francisco Jorge e Sylvio Mário Puga, da Ufam; o escritor Marcio Souza; doutor Roberto Monteiro, do Inpa; delegado Pontes Filho; doutor Antônio Loureiro.  Completaram o quadro de palestrantes, oficiais do Exército, da ativa, como o general Eduardo José Barbosa, diretor do Patrimônio Histórico do Exército; e da reserva, com o general Taumaturgo Vaz, coronéis Lauro Pastor e Hiram Reis.

Foi discutido, isso aconteceu com profusão, a conquista da Amazônia e os principais atores; a criação da Capitania do Rio Negro; uma mostra das fortificações do Exército na região amazônica. E, no segundo dia, o trabalho do Exército, ontem com coronel Jorge Teixeira e o 5º BEC, em Rondônia; hoje, a atuação do CMA e os problemas enfrentados em decorrência do abandono desta vasta região. Ainda houve momento para se debater a Zona Franca de Manaus com suas promessas e suas incertezas.

A presença de universitários em número acanhado deixa-me a garantia de que não foi das melhores a divulgação. Não vi qualquer emissora de TV na reunião, nem notícia em jornal. Talvez fosse essa a intenção do general Villas Bôas que, encerrando o I Sehma ratificou a sua paixão pela região.  Não poupou palavras, todavia, para demonstrar sua angústia com o desamparo em que esta imensa Amazônia se encontra.

No próximo ano, promessa do Comandante, haverá a segunda etapa. Assim espero.