CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

21 de novembro de 2011

Clube da Madrugada

Max Carphentier, 1992
Amanhã, 22, o lendário Clube da Madrugada completa 57 anos de criação. Para comemorar o surgimento do Movimento que, embora extinto, ecoa até os dias de hoje por meio da continuidade do processo criativo de seus participantes e das marcas deixadas para as novas gerações, será realizado amanhã uma mesa redonda com o tema Clube da Madrugada: história e legado. Participam da mesa os escritores Elson Farias, Luiz Bacellar e Max Carphentier, que tiveram participação ativa no Clube.

Na ocasião será lançado o livro Quadros da Moderna Poesia Amazonense, de Alencar e Silva, que também compunha o elenco do Clube.

Todos os livros de autores do Clube da Madrugada estarão à venda com 50% de desconto, somente amanhã.

Clubistas, em 1970, Alencar e Silva (à esq.),
Jorge Tufic (ao centro) e Anthistenes
Pinto (à dir.)
Quadros da Moderna Poesia Amazonense é um livro-testemunho de um recorte histórico desse período, com foco no Clube da Madrugada. A ênfase do autor é na produção poética desse movimento, com destaque para os escritores e obras que marcaram esse momento das letras regionais. Alencar e Silva, um dos mais expressivos e delicados poetas desse ciclo, presta com esta obra importante contribuição em termos de resgate e fixação do trabalho da geração madrugada. O autor morreu em setembro passado.