CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

3 de novembro de 2011

Acadêmico Geraldo dos Anjos

Símbolo da Academia de Letras
O silogeu amazonense recebe hoje o centésimo quadragésimo quarto acadêmico de sua história. Tradição que está próxima de completar 94 anos. José Geraldo Xavier dos Anjos toma assento na cadeira 17, no Salão do Pensamento Amazônico, sucedendo ao saudoso Demosthenes Carminé.

A sessão será presidida pelo acadêmico José dos Santos Pereira Braga e a oração de acolhimento será encaminhada pelo acadêmico Antonio José Souto Loureiro.
A cadeira 17, do patrono Francisco de Castro, é uma das mais movimentadas na Casa de Adriano Jorge, a outra é a 21, com sete substituições. Seis foram os ocupantes: José Francisco de Araújo Lima (fundador), Leôncio Salignac e Souza; Mário Silvio Cordeiro de Verçosa; Áureo Nonato dos Santos; Demosthenes Ribeiro Carminé; José Geraldo Xavier dos Anjos (atual).

Este número total apresentado acima pode sofrer pequena variação. Como anunciam os apresentadores de telejornal, em época de eleições, “para mais ou para menos”.  Empreendo uma revisão no Dicionário Biográfico dos imortais do Amazonas, do acadêmico Almir Diniz, e algumas lacunas e incorreções estão sendo emendadas.
Mas, alguns indicadores já foram confrontados: são 61, os acadêmicos nascidos em Manaus, e 31, no interior do Amazonas. Humaitá apresenta o maior índice: Raimundo de Castro Monteiro; Sebastião Norões; Álvaro Botelho Maia; Plínio Ramos Coelho; Almino Álvares Afonso (6).

Os demais 51, espalham-se pelos estados brasileiros. Pernambuco é o recordista com sete: Francisco Pedro de Araújo Filho; Gaspar Antônio Vieira Guimarães; Arthur Virgilio do Carmo Ribeiro; Paulo Eleutherio Álvares da Silva; André Vidal de Araújo; Leopoldo Carpinteiro Péres; Ernesto Renan Melo de Freitas Pinto (eleito).
Para fechar a conta, ainda permanece um – José Mendonça Lima, sem identificação. Todavia, o seu confrade Cláudio Chaves já localizou o prontuário deste, de forma que a revisão do Dicionário já possui prazo para encerramento.

No Igha, Geraldo dos Anjos (ao centro), ladeado pelos acadêmicos
Cláudio Chaves, Rosa Brito, Marilene Corrêa e Almir Diniz
O acadêmico Geraldo dos Anjos, nascido em Manaus, e formado em biblioteconomia na Universidade Federal do Amazonas, vem há décadas se dedicando a cultura de nossa terra. Pertence ao Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (Igha) e atualmente preside esta agremiação. Sucesso ao novo integrante da Casa de tantos ilustres escritores, que a poltrona azul lhe seja confortável.