CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

1 de janeiro de 2011

Antigos e novos governantes

Janeiro, 1º

1852 – Instalação, em Manaus, da Província do Amazonas, com a posse do primeiro presidente, João Batista de Figueiredo Tenreiro Aranha.

1853 – A barca Marajó, da Companhia de Comércio e Navegação do Amazonas, constituída pelo barão de Mauá, deixa Belém em direção a Barra (hoje Manaus), aqui chegando após dez dias e dezesseis horas de viagem.

1874 – Lançamento da pedra fundamental do Paço Municipal, hoje a “velha” sede da Prefeitura de Manaus. Onde em 1880 foi instalada a sede do Palácio do Governo provincial, “alugado por quatro contos de réis anuais”. No governo de Constantino Nery (1904-07), este edifício recebeu ampliação. Ali esteve a sede do governo estadual até 1917, quando foi transferida para o Palácio Rio Negro, sendo governador Pedro de Alcantara Bacellar.

1876 – Entra em circulação o semanário A Foz do Madeira, em Itacoatiara (AM), o segundo jornal daquela cidade.

1913 – Jonathas de Freitas Pedrosa, médico nascido na Bahia, foi empossado no governo do Estado. Quatro anos depois, Pedro de Alcântara Bacellar, também médico, também baiano, assumiu o governo do Amazonas.

1918 – Fundação da Academia Amazonense de Letras, sob a presidência de Araújo Lima, contando com Péricles Moraes (primeiro presidente) e José Chevalier, entre outros. A data da fundação vem sendo questionada pelo acadêmico Zemaria Pinto. Para este, a data correta é 9 de janeiro, consoante comprova em publicação inserida na Revista da Academia nº 29, dez. 2010.

1921 – César do Rego Monteiro tomou posse no Poder Executivo. Nascido no Piauí, graduou-se pela Faculdade de Direito do Recife. No Amazonas, foi desembargador e presidente do Tribunal de Justiça entre 1899-1901. O encerramento de seu mandato governamental foi antecipado pela rebelião de Ribeiro Júnior (23 jul. 1924).

1926 – Tomam posse no governo do Estado, Ephigenio Salles, natural de Minas Gerais, e, na prefeitura de Manaus, José Francisco de Araújo Lima.

1930 – Dorval Pires Porto foi empossado na chefia do Poder Executivo. Nascido no Rio Grande do Sul, bacharel em Direito, havia sido Prefeito de Manaus e deputado federal pelo Amazonas. Dorval Porto, no entanto, manteve-se no poder por exatos nove meses, devido o desfecho da revolução de Getúlio Vargas.

1949 – Instalada em Manaus, a Delegacia Regional do SESI, sediada na esquina da avenida Getúlio Vargas com a rua Ramos Ferreira.Hoje tem sede própria na rua Henrique Martins e oferece serviços em outros endereços.

1951 – A Companhia de Bombeiros passa a subordinação da Prefeitura de Manaus, ainda que ocupante de dependência do Quartel da Praça da Polícia, com entrada pela rua José Paranaguá. O comandante interino era Isidoro Castilho, 1º tenente da Polícia Militar, com efetivo de 20 abnegados “soldados do fogo”.
Plinio Coelho

1958 – Criada a Faculdade de Ciências Econômicas (FCE), por iniciativa do governador Plínio Ramos Coelho. A despeito do proceder ao vestibular, com aprovação de nove alunos, nada disso possuía validade, pois a Casa de Ensino não recebera a necessária aprovação do Ministério da Educação e Cultura (MEC). Somente em 2 maio 1958 ocorreu a sessão de instalação em dependência do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), sob a presidência do cônego Pedro Mottais. A formatura da primeira turma de economistas sucedeu em 23 dez.1961, no Teatro Amazonas. Em nossos dias, a FCE está integrada a Universidade Federal do Amazonas.

1966 – Álvaro Botelho Maia assumiu a presidência da Academia Amazonense de Letras, nela permanecendo até 28 de novembro do mesmo ano.

1999 – Amazonino Armando Mendes, governador reeleito, retoma a data para a posse do chefe do Poder Executivo, como ainda vem sendo mantida.

2003 – Carlos Eduardo de Souza Braga assume o mandato de governador do Estado.
Omar Aziz (à esq.) e Eduardo Braga, 2010
2005 – Serafim Fernandes Corrêa, do Partido Social Brasileiro, e Mario Frota, eleitos pela oposição, tomam posse como Prefeito e Vice de Manaus, respectivamente.
Amazonino Mendes, 2010

2009 – Amazonino Armando Mendes, do Partido Trabalhista Brasileiro, e Carlos Souza, do Partido Popular, como vice, assumem a Prefeitura de Manaus.