CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

16 de janeiro de 2011

Projeto Jaraqui

Sob esta denominação bem regional, intelectuais e técnicos, professores e o próprio povo reuniam-se na Praça da Polícia, abrigados na rotunda (construção do prefeito Araújo Lima). A iniciativa bem sucedida teve início no final dos anos 1970 e adentrou a década seguinte.

O encontro, sem necessidade de mesa diretiva ou de moderador, permitia o debate franco sobre o tema preestabelecido, e tomava o final da manhã do sábado.
Esse encontro do povo aliada à arquitetura da “sede” poderia sugerir uma "ágora" manauense. No intuito, Ramayana de Chevalier, em ensaio (A Gazeta, agosto 1961) reconstrói com sua imaginação superdelirante o movimento dos primeiros filósofos gregos.


ASSIM deveria de ter sido, na velha Grécia. Era na “ágora”, a praça ensaiada e discreta, sob o clima salubre do Mediterrâneo. Por todos os lados, os pregões dos vendedores de azeitonas, enchendo o espaço pela manhã. Cruzavam rudes mergulhadores do arquipélago bronzeados pelo sol do Egeu, mercando lagostas e lulas, ou meninos ariscos, das montanhas do norte, de cestos cheios de figos opulentos. Ao meio-dia, cessavam os rumores. A praça ficava deserta. Atenas ia dormir a sesta, inebriada do vinho de Samos, dos beijos das filhas da Calcedônia. De tardinha, o aspecto era ilustre. Chegavam, lentos e graves, nas suas túnicas, os filósofos.

A Notícia. Manaus, 20 jun.1980
A foto do outro instante trazia uma legenda de sucesso: "O Projeto Jaraqui, do Fórum de Debates da Amazônia, foi um grito que levantou contra o imperialismo e devastação da floresta e a incoerência dos programas governamentais. Do coração da Selva, o Jaraqui gritou para o mundo e foi ouvido".
A Crítica. Manaus, 25 dez. 1980
Enfim, a sede do Projeto Jaraqui na manhã de hoje. Ninguém, apenas os dirigentes do Café do Pina arrumam a loja para o dia seguinte.

Um dia, o Jaraqui entendeu que havia dado seu "recado". Se o mundo ouviu, como queria o jornal de Manaus, desconheço. Sei apenas que o jaraqui voltou para as águas do grande rio.
A seguir, dois momentos do trabalho desenvolvido pelos seguidores do Jaraqui. No primeiro, discutiu a questão dos anticonceptivos. Dr. Frederico Arruda estava lá, eu o vi muitos sábados com sua disposição. Para mim, ele era o Projeto.