CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

8 de dezembro de 2010

Memórias amazonenses XL

Dezembro, 8 (ou nota sobre três Antonios)
Dia de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Amazonas

1859 – Nasceu em Manaus, Antonio Constantino Nery, filho de Silvério José Nery (major reformado do Exército, cujo filho mais velho levou seu nome, daí os muitos enganos) e de Maria Antony Nery, sendo batizado na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, em 8 abr. 1860, pelo cônego Azevedo. Os estudos primários foram realizados no Seminário São José, no período de 12 mai. 1869 a 26 out. 1873.


Apoiado por sua condição de oficial, Nery sênior consegue para os filhos (Silvério e Constantino) a inclusão no Exército, que acontece na capital do Império. Ambos concluem o curso de oficial, mas Constantino torna-se engenheiro militar.

Exerceu essa função por bastante tempo na guarnição de Belém (PA). Consolidada a posição, consegue envolver o comandante do Distrito Militar nas quarteladas (dez. 1892 e fev. 1893) que buscavam destituir o governador Eduardo Ribeiro.

Participou da campanha de Canudos, na quarta expedição, sob o comando do general Savaget, cuja tropa se deslocou da capital de Sergipe. Nery não alcançou Canudos, mas os conhecimentos adquiridos e observados permitiram-lhe escrever uma obra. Trata-se da Quarta Expedição contra Canudos, editada em Belém (PA), em 1898. A reprodução deste livro foi promovida pelo Estado do Amazonas, no centenário de Canudos (1997).

Constantino exerceu o senado pelo Amazonas e foi governador do mesmo Estado no período de 1904/1907. Aqui também não completou o mandato, passando ao presidente da Assembleia, conforme mandamento legislativo.

Ainda retornou ao Exército, conforme era permitido, e após passar para a reserva como general, passou a residir na capital paraense onde morreu em 1924. Seu nome perpetua-se na avenida que liga o centro de Manaus a bairros periféricos.

1909 – Nasceu em Tefé (AM), Antonio Hosanah da Silva Filho, melhor conhecido por doutor Hosanah. Ao regressar de Salvador, onde se graduou na Faculdade de Medicina da Bahia, foi nomeado legista do Gabinete Médico Legal, em 27 ago. 1937. Somente deixou o emprego com a aposentadoria, cerca de 50 anos depois.

Ao tempo, ingressou no Serviço Médico da Polícia Militar, onde foi para a reserva no posto de coronel.

A Polícia Civil do Amazonas prestou respeitosa homenagem com a aposição de seu nome no prédio do Instituto de Medicina Legal.

1949 – Inauguração da matriz de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro de Educandos, idealizada e construída pelo padre Antonio Plácido de Souza.

Bandeira do Amazonas, montagem de Carlos Navarro