CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

14 de dezembro de 2010

Dia do Marinheiro

Ontem foi o Dia do Marinheiro, celebrado pela corporação dos homens dos mares. E dos nossos rios, igualmente.
Há 40 anos, em Manaus, foi instituida a Travessia do Rio Negro, em comemoração a data. A competição ainda é um forte desafio aos atletas da categoria. Imagine-se naquele ano, quando as improvisações eram patentes.
A organização da prova coube à Capitania dos Portos, dirigida pelo capitão Mário Hermes, um marinheiro de elevada estatura, que o distinguia muito bem em terra de tantos medianos.  
Apesar da improvisação da festa inaugural, a competição saiu a contento, destacando-se uma disputa entre amazonenses e paraenses, que foi vencida por estes facilmente. Do lado amazonense competiam atletas do Atlético Rio Negro Clube, da Polícia Militar e avulsos. Representava o Pará a delegação do Clube do Remo.

Jornal do Commercio. Manaus, 13 dez. 1970
Entre os nadadores policiais, o único destaque coube ao capitão José Cavalcanti (foto). Jovem atleta, que havia concluído no ano anterior a Escola de Educação Física do Exército. Quase foi vencido pelo rio Negro, mas alcançou a raia de chegada, sem que se contasse  o tempo.

Jornal do Commercio. Manaus, 15 dez. 1970 divulga a classificação
Anos depois, Cavalcanti trabalhou como preparador físico do Nacional Futebol Clube, quando este participou do campeonato nacional. O Naça de então conseguiu por empréstimo jogadores do Clube Atlético Mineiro, alguns dos quais (Cerezo é um deles) alcançaram a seleção nacional.

Hoje, aposentado, Cavalcanti continua jogando futebol em seu sítio, afinal é o dono do campo e da bola.