CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

20 de junho de 2010

CORONEL ALFREDO ASSANTE DIAS


Morreu à tarde de hoje, durante a vitória do Brasil, Alfredo Assante Dias, coronel da Polícia Militar, vitimado por um acidente vascular.
Nascido em 1947, foi criado no Centro da cidade, tendo estudado no Colégio Estadual do Amazonas, onde completou o curso secundário.
Em seguida, realizou o curso do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR), realizado no então 27º BC (hoje 1º BIS), já no bairro de São Jorge.
Parte da turma, em fevereiro de 1967, ingressou na PMAM.
Dela fazia parte os hoje coronéis da reserva: Romeu Pimenta Medeiros e Mael Rodrigues Sá, que foram comandantes da PMAM; José Cavalcanti Campos, chefe da Casa Militar em dois governos, deputado estadual constituinte; Fausto Seffair Ventura, subchefe da Casa Militar; Abelardo Pampolha, secretário de Saúde do Amazonas; Odorico Alfaia e Célio Silva. Ainda, os médicos  Jonas Marques e Marcus Barros, que foi Reitor da Ufam e presidente do Ibama.   


Assante, seu nome de guerra, foi um oficial interessado na administração da PMAM, ainda assim comandou a Companhia de Rádio Patrulha e de Polícia Rodoviária, o extinto 1º Batalhão e, com mais desenvoltura, o Departamento de Pessoal.  

Palacete Provincial, 2010

Efetuou os cursos obrigatórios na Polícia Militar de Minas Gerais. Possuía orgulho pelo 1º lugar obtido na conclusão do Curso de Técnica de Relações Públicas, realizado no Forte do Leme.

Coronel da reserva, desde 1996, passou a advogar, conquistando respeitável clientela e inúmeros amigos de profissão.

Flat Tropical Hotel, 2008


Apreciador de uma boa mesa, frequentava com aptidão o almoço mensal que os colegas da Pmam realizam. Ao final de cada mês, sentamos para lembrar algumas proezas e sentidas dores. Sua ausência será certamente sentida.
Seu corpo está sendo velado no Quartel do Corpo de Bombeiros, na rua Codajás, em Petropolis e o sepultamento ocorre amanhã no cemitério São João Batista.

Até a eternidade, amigo Assante.