CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

12 de junho de 2010

Governo Arthur Reis

O Governador Arthur Cézar Ferreira Reis (1964-1967) encontrou na estrutura do Estado o conhecido serviço de controle do funcionalismo público. Tratava-se do Departamento Administrativo do Serviço Público do Amazonas (Daspa), copiado do sistema federal.

André Aráujo e José Braga

Lembrando aos mais jovens, o Dasp foi um orgão criado no governo de Getúlio Vargas destinado a organizar e racionalizar o serviço público.


Interessado em revitaliar esse serviço, Arthur Reis efetuou nele algumas modificações. E, para implementá-las, nomeou para dirigir o Daspa ao então professor José dos Santos Pereira Braga que, atualmente, preside a Academia Amazonense de Letras.


Na esteira dessa adequação, o Daspa foi instalado no prédio da av. Joaquim Nabuco (entre a av. Sete de Setembro e a rua Lauro Cavalcante), onde antes funcionara o Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência (Samdu). Traduzindo: o primeiro serviço de urgência ou pronto socorro da Cidade.

Arthur Reis e esposa
Em 11 de novembro de 1965, o Daspa inaugurou a nova sede, em cuja solenidade esteve presente o Governador Arthur Reis, sua esposa, Graziela Reis, e convidados.


O presidente do Daspa, José Braga, promoveu a ampliação do prédio para fazer funcionar a Escola do Serviço Público do Estado do Amazonas (Espea), destinada a fomentar a adoção do sistema de mérito com a seleção e aperfeiçoamento do pessoal administrativo. Nela, funcionou o Curso de Administração Pública, de nível médio, com duração de três anos.

José Braga, André Araújo e Randolpho Bitencourt 
A Espea teve duração limitada, no governo de João Walter (1971-1975) sofreu alteração substancial. Pouco adiante, desapareceu. Mas, até seu desaparecimento, ao menos, três turmas foram diplomadas. Entre seus professores e palestrantes, anotam-se: Randolpho Bittencourt, André Araújo, Luiz Ruas, Áderson Dutra.  


Nesse endereço, hoje  funciona a Secretaria Estadual do Trabalho (Setrab).