CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de outubro de 2012

Cine Manáos


 

Para matar a saudade: (à esq.) a igreja do Dom Bosco (demolida),
o colégio e faculdade e, à direta, o Cine Manáos
Este cinema foi uma iniciativa dos padres salesianos, que dirigiam o Colégio Dom Bosco. Funcionou em prédio existente ao lado deste colégio (veja ilustração). Deve ter iniciado para atender os jovens frequentadores do “catecismo” ofertado pelos padres nas tardes de domingo.

Um dos frequentadores, o artista plástico Moacir Andrade, conta que a direção do cinema cabia ao padre Agostinho Caballero Martin. Esse argentino que conquistou os jovens de sua época, tanto os soube conduzir que deixou sua indelével marca na educação regional.

Recorda este nosso artista, que padre Agostinho acompanhava a projeção dos filmes e, sempre que surgia uma cena mais tórrida, ele ordenava ao operador que a cobrisse. Obviamente sob os apupos dos seus pupilos.

Depois o Manáos virou comercial, como bem demonstram os anúncios publicados em O Jornal, da cidade.
 

O Jornal, 19 setembro 1937