CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

20 de outubro de 2012

ACADEMIA AMAZONENSE DE LETRAS: PATRONO



Símbolo da Academia Amazonense
de Letras
Cadeira nº l3 - Estelita Tapajós

Ainda não me foi possível descolar uma fotografia deste Patrono desta cadeira da Academia de Letras. Sabe-se que José Estelita Monteiro Tapajós, nascido em Manaus, a 5 de janeiro de 1859, concluiu o curso elementar na capital amazonense, o secundário, em Belém (PA), e o curso médico na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, tendo se radicado em São Manoel (SP) onde exerceu a profissão, segundo seus contemporâneos, como verdadeiro sacerdócio.
Viajou pela Europa em missão de estudos. Ao voltar ao Brasil, esteve no Rio de Janeiro, depois em São Paulo (capital). Dali retornou a Itália e, por fim, a São Miguel do Paraíso, região sorocabana. Professor de Biologia e cientista de renome. Estelita Tapajós integra a diminuta relação de amazonense ilustres eleita pelo historiador Anísio Jobim, constante de sua História do Amazonas. Constitui um dos três luminares da família Tapajós, com Manoel e Torquato.
Foi selecionado para patrono da Cadeira 13 desta Academia de Letras, em razão da projeção dada ao seu Estado natal. O acadêmico Arthur Reis, quando governador do Estado (1964-67) prestou-lhe homenagem, dando seu nome à Escola Estadual existente no bairro de Educandos.

Deixou publicadas as obras: Corumbiose organica; Biologie syntetique; Psycho-Physiologia da percepção e das representações, 1890 (tese apresentada à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro); Ensaio de Philosophia e sciencia (com prefácio de Silvio Romero), 1898; A verdade, Rio 1894.
Faleceu no interior de São Paulo (São Manoel) a 3 de dezembro de 1912, com 52 anos de idade.
Para saber mais sobre este acadêmico, consultar: REIS, Arthur. Elogio de Estelita Tapajós. Revista da Academia Amazonense de Letras nº 12, julho 1968; BADARÓ, Marília Azevedo Righi. Reflexos da mentalidade cientificista na obra de Estelita Tapajós. São Paulo: Faculdade de Educação da USP, 1980 (Tese de mestrado). BLAKE, Sacramento. Dicionário bibliográfico brasileiro. Rio: Conselho Federal de Cultura, 1970, v.4; JAIME, Jorge. História da filosofia no Brasil. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Faculdades Salesianas, 1997. v.1; VITA, Luís Washington. Estelita Tapajós, precursor de Splenger?  In: ANAIS do I Congresso Brasileiro de Filosofia. São Paulo: Instituto Brasileiro de Filosofia, 1950. v.1.