CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

4 de agosto de 2012

As Olimpíadas e um torcedor amazonense

Foi preciso o amigo Herbert Ribeiro aplicar-me um carão, para que eu despertasse desse torpor.  De concreto, para que eu abandonasse a TV, me desligasse dos 4 canais de “Sportv em full HD”. Que beleza, oh! Céus, oh! Cielo, não resta dúvida!

O torcedor sou eu; e minha justificativa para tanta pegada é de que os jogos se realizam a cada quatro anos. Portanto, merece um esforço dessa natureza, em especial de aposentado e de férias.

Revelo que alguns acontecimentos esportivos despertaram-me a vontade de aqui registrá-los. Mas, ou fui superando o entusiasmo ou os fatos se sucediam velozmente que eu sempre deixava para depois. Para amanhã. Dessa maneira, uma semana passei com esta página em branco.

Apesar de fora do espaço, faço o registro de três questões: ainda na sexta-feira 27, coronéis aposentados da Polícia Militar, entre os quais me incluo, estiveram confraternizando na Casa do Bacalhau. A presença dos comensais foi recorde: 26 colegas estiveram trocando fichas e as corriqueiras apreensões da classe, proventos e saúde. Ou melhor, saúde em primeiro.

Procurador Roberto Gurgel, ontem
O segundo tema: terça-feira 2, minha filha Gabriela aniversariou. Moradora de Brasília, ela passou mais essa festa ao lado dos filhos Caio e Gabriel. Apenas pude felicitá-la pelo fone, aproveitando uma dessas promoções de telefone móvel. O abraço paterno já o fizera no mês anterior quando passei na Capital Federal, voltando de São Paulo.

O terceiro é um tema politico. Político? Nem sei. Sei mesmo que anteontem 2, o Supremo Tribunal Federal começou o julgamento dos envolvidos no mensalão. Ontem, entre um e outro fiasco brasileiro nos Jogos, vi na TV o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, descrever os crimes cometidos e pedir “a condenação de 36 dos 38 réus da Ação Penal 470”. No popular e na mídia, o mensalão.

Nele, tudo impressiona. Os valores desviados então são superlativos e eram transados entre bancos, como se a transação ocorresse no jornaleiro da esquina. Para mim, seja qual for o arremate desse longo julgamento estarei contente, pois os crimes foram conhecidos e os acusados, julgados. Enfim, fica provado que existiu o mensalão do Partido dos Trabalhadores.