CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de junho de 2011

Paróquia da Santíssima Trindade

Ontem lembrei da criação, há 40 anos da paróquia da Santíssima Trindade. Criada em 6 de junho de 1971, no Conjunto Residencial 31 de Março ou Japiim I, quando ali já se encontravam construídas 500 casas, mas habitadas algumas poucas, com apenas 100 famílias. Seu primeiro pároco foi o padre Sebastião Luiz dos Santos Puga Barbosa.

Em 1966, quatro diáconos foram ordenados padres. Apenas o
padre Puga Barbosa permaneceu na Igreja
Elson Farias, em Cem anos de fé na floresta, escrito por ocasião do centenário da arquidiocese de Manaus (1992), lembra esta paróquia.
Lembra igualmente que os conjuntos residenciais construídos expuseram uma nova realidade. Eles foram surgindo na proporção em que o governo foi incrementando a política habitacional, oferecendo condições a que um maior número de pessoas conseguisse concretizar o sonho da casa própria. Assim é que os moradores do conjunto do Japiim constituiram-se de famílias oriundas de diversos bairros da cidade, fato complicador que a Igreja teve de enfrentar para fazer com que aqueles cidadãos se conhecessem melhor e assim formassem uma verdadeira comunidade.
O seminarista Puga Barbosa
(à dir. abaixo) entre colegas
e mestres Origenes Martins e
André Araújo

O método usado para aproximar aquelas famílias foi convidá-las a participar dos atos litúrgicos e de outras atividades da paróquia recém-implantada, inicialmente no barracão de obras de propriedade do governo, que, aos poucos, se foi transformando em templo.

Com esse processo de trabalho a paróquia floresceu, e teve por como pároco, até sua morte, o padre  Puga Barbosa. Quero aqui homenagear ao saudoso colega padre Puga, com fotos que lembram sua passagem pela Igreja de Manaus.