CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

20 de julho de 2011

Cândido José Mariano

Uma noite dessas, “googlando” (desculpe o palavrão) por aí, esbarrei com as informações que desejei coletar no devido tempo. Ou seja, a ascendência deste mineiro que firmou seu nome na historiografia amazonense.

Cândido Mariano, em Jornal
do Commercio, Manaus

Apenas para esclarecer a nova geração: Cândido Mariano (repito, não confundir com o marechal Rondon) desembarcou em Manaus no início do governo de Fileto Pires (1896-98), sucessor do governador Eduardo Ribeiro. Todos eram oficiais do Exército.

Mariano veio para integrar a Polícia Militar, tendo sido nomeado comandante do 1.º batalhão, o mesmo que marchou em agosto de 1897 contra o arraial de Antonio Conselheiro, na Bahia. Integrou as forças militares que destruíram o povoado de Canudos.


Em seu livro Os sertões, Euclides da Cunha descreveu com brilhantismo essa epopeia. Nele, o autor enfatizou a presença de Candido Mariano, lembrando o colega da Escola Militar que encontrou com outros, entre os combatentes. Mais adiante, em 1905, quando Euclides esteve em Manaus, pode reencontrar ao engenheiro Cândido, então prefeito de Sena Madureira (AC), e outros participantes daquela peleja sertaneja.

Lembro ainda que Euclides da Cunha, antes da campanha de Canudos e de publicar Os sertões, residiu em Campanha (MG), na região de Alfenas. Portanto, teve contato com os familiares próximos de Mariano.

Pois bem. Em http://www.arvore.net.br/ encontrei a ascendência de Cândido Mariano, nascido em Alfenas (MG) e morto no Rio de Janeiro (RJ). Ele descende, pelo lado materno, de Bernardino Teixeira de Toledo, cavaleiro da Ordem de Cristo, batizado em 1761 e falecido em 1814, em Campanha da Princesa (MG) e sepultado na matriz de Santo Antônio do Val.
Bernardino foi o pai natural de Rita de Cássia Gomes, que gerou Maria Joanna Gomes, e esta a Francisca Leopoldina Gomes, mãe de Cândido Mariano.

Francisca Leopoldina Gomes nasceu em 17 jul. 1847, em Campanha (MG). Casou-se, aos 18 anos, com o Dr. Cândido José Mariano Júnior, filho do capitão Cândido José Mariano e Anna Xavier da Veiga, em 6 maio 1865, em Alfenas (MG).
Dr. Cândido nasceu em 1841, em Campanha (MG) e faleceu em 21 abr. 1883, em Alfenas (MG), quando o filho homônimo tinha 12 anos incompletos.

Dr. Cândido e Francisca tiveram os seguintes filhos:
Anna Gomes Mariano nasceu em 1866 e faleceu em 29 maio 1867, em Alfenas (MG).
Antônio José Mariano nasceu em 13 dez. 1867 em Alfenas (MG).
Cândido José Mariano nasceu em 22 maio 1870 e faleceu em 21 nov. 1941.
Maria Ricardina Gomes Mariano nasceu em 3 maio 1873 em Alfenas (MG).
Igreja de São José e Dores, em
Alfenas - MG
Encaminhei ao mencionado site as seguintes notas:
Cândido foi batizado na igreja de São José e Dores, ainda existente.
Antonio Gomes Mariano (sobrenome mais correto, como os demais irmãos) morreu em Sena Madureira-AC, em 5 mar. 1909. Conforme a publicação do jornal Alto Purus, o finado possuía 40 anos de idade e era solteiro.

Candido José Mariano sempre esteve acompanhado da mãe (Francisca) e dos irmãos (Antonio e Ricardina). Tanto que residiram em Manaus (AM), depois em Sena Madureira (AC) e, por fim, no Rio de Janeiro, onde morreu Cândido. Tudo indica que as duas também morreram naquela cidade.

CJM casou com a gaúcha Fanny Ribas (20 anos), em 22 maio 1897, em Manaus-AM. Aqui tiveram dois filhos:
1. Lucy Ribas Mariano, nascida em 3 nov. 1901 e falecida no Rio, em 1.º jun. 1994. Manteve-se solteira, mas adotou dois filhos: Jorge e Beatriz Torres, ainda residentes no Rio.
2. Floriano Ribas Mariano, nascido em 17 ago. 1903 e falecido no Rio, em 4 out. 1960. Do seu casamento com Sonia Areosa Mariano, nasceu Sonia, que apresentava deficiência mental, por isso, solteira. Não sei se ainda vive.

Dessa maneira, interrompeu-se a descendência de Cândido Mariano.