CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

9 de setembro de 2010

FALECIMENTO

Na funerária, Albefredo, irmão do
coronel, fala pela família
Hoje, no começo da madrugada, morreu o coronel da reserva Alrefredo Melo de Souza. Pertencente a Polícia Militar, integrou um grupo de oficiais oriundos Exército, que chegou à corporação no início de 1967. A corporação começava a se reestruturar sob o Governo Militar.
O tenente Alrefredo possuÍa uma disposição para as ações de combate direto aos meliantes. Companheiro, era capaz de repartir o que possuia com seus subordinados.

A mesma disposição dispensava aos familiares, confessou seu irmão, Albefredo Souza, ao se despedir do irmão em nome da família.

Os velhos camaradas, surpreendidos com a morte do amigo, compareceram em bom número ao velório ocorrido na funerária Almir Neves. Entre as homenagens, lá estavam as bandeiras de dois clubes: do Atlético Rio Negro Clube, que ele ajudou com suas amizades; e a do Flamengo, o clube do coração.

Bandeiras do Clube Flamengo e do Rio Negro Clube
O sepultamento foi realizado no final da tarde no cemitério São João. No local, falou o coronel Alfaia Filho, com emoção e poucas palavras, despediu-se do "Gordo", como o falecido era tratado na caserna.

No cemitério, coronel Alfaia despede-se