CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de setembro de 2010

Academia Amazonense de Letras IV

A Academia Amazonenese de Letras (AAL) já tem candidatos paras as duas vagas cujas inscrições encontram-se abertas até o próximo dia 16: para a cadeira nº 26, que fora de Oyama Ituassu, o empresário José Roberto Tadros; e para a cadeira de nº 28, vaga com o falecimento do poeta Anibal Beça, há mais de um ano, o também poeta e cronista Simão Pessoa.


Tadros. A Notícia.
Manaus, 17 julho 1980
Os dois são candidatos fortíssimos: Tadros já mereceu da AAL, em 2007, a medalha do Mérito Cultural Péricles Morais, na categoria mecenato. Quanto a Simão Pessoa, se vivo fosse, seu maior “cabo eleitoral” seria o próprio Anibal Beça, que escreveu, há uns bons 20 anos, uma Ode ao poeta mordaz Simão Pessoa, da qual transcrevo apenas o fecho:



Este Simão Pessoa
(guardem bem o seu nome)
é do meu chão
e do meu coração
e isto nada tem
com a rima fácil



Simão Pessoa
e muito menos
com nenhuma solução
é apenas confissão:
se não me chamasse Anibal
me chamaria Simão.







originalmente postado em