CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

29 de setembro de 2010

O fim dos Armazéns Rosas, de J. G. Araújo

Quartel dos Bombeiros, Manaus 

O coronel Odorico Alfaia Filho assumiu a direção do Corpo de Bombeiros em 30 de agosto de 1990. Logo, antes de completar o primeiro mês de comando, teve seu “batismo de fogo”. Aconteceu em 27 de setembro, quando sentiu em toda extensão combater o incêndio dos Armazéns Rosas, de J. G. Araújo Cia. Ltda., situados entre a rua Marechal Deodoro e a avenida Eduardo Ribeiro. Manaus assistiu o prédio centenário desaparecer, restando apenas na extremidade superior direita, como a zombar do tempo e da fogueira, e até dos bombeiros - consoante descrição jornalística, o “A” de Armazéns.
A cidade, como nos velhos tempos, parecia estar presente. A imprensa também, que nada deixou escapar. Nem a pobreza dos Bombeiros no combater ao incêndio, afinal, alçado a condição de “pior incêndio de Manaus“. Não houve vítima fatal ou ferido grave, apenas a destruição do prédio histórico proporcionou esta classificação.

Jornal já desaparecido, O Povo. Manaus, 28 setembro 1990