CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

28 de julho de 2011

Academia Amazonense de Letras (VI)

Para comemorar o Dia do Escritor, acontecido em 25 de julho, a Casa de Adriano Jorge realizou hoje a noite uma sessão especial. A mesa diretiva esteve sob a presidência do acadêmico José Braga, do secretário-geral Almir Diniz e do diretor de edições Marcus Barros.

Além dos citados, ocuparam a mesa o escritor José Carlos Gentili, presidente da Academia de Letras de Brasília; Marcílio Luís Reinaux, presidente da Academia Brasileira de Cerimonial e Protocolo; Geraldo dos Anjos, presidente do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas, e o acadêmico Cláudio Chaves, presidente da Academia Amazonense de Medicina.

Compareceram à cerimônia os acadêmicos Abrahim Baze; Francisco Gomes; Armando de Menezes; Arlindo Porto; Moacir Andrade; Jorge Tufic; Rosa Mendonça; Carmen Novoa; Max Carphentier e Elson Farias.

A abertura do evento ocorreu com a execução (poucos cantaram) do Hino do Amazonas, de autoria do poeta Jorge Tufic, pelo Coral João Gomes Junior. Em seguida, ocupou a tribuna o ex-presidente da Casa, Elson Farias,  para a saudação oficial.

Na  sequência, foi entregue o título de Sócio Correspondente ao presidente da Academia de Letras de Brasília, que usou da tribuna para os agradecimentos, ocasião em que efetuou uma sucinta aula sobre a história do Amazonas.
Os livros lançados


Para fazer o lançamento das obras editadas pela Academia falou o acadêmico Marcus Barros, diretor de edições. Finalmente, emprestando mais beleza ao evento, o Coral João Gomes Junior efetuou uma apresentação especial, homenageando os escritores amazonenses, encerrando com um trecho da ópera Carmen, de Bizet, que despertou vivas manifestações da plateia.

Os livros foram ofertados aos presentes, que puderam receber autógrafos dos autores Jorge Tufic e Rosa Mendonça, seguido de um coquetel na sala Mario Ypiranga.