CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

26 de maio de 2011

Abastecimento de água em Manaus (IV)

A construção da rede de esgotos da capital amazonense teve início em março de 1906. Nessa data, no consulado brasileiro em Londres, a empresa contratada - Manáos Improvements, comprova sua organização.

Placa indicativa da Manáos Improvements,
1907

Mais adiante, em 1º de maio, a empresa apresenta a certificação necessária para dar cumprimento ao projetado. A documentação somente foi publicada em Manaus no ano seguinte, no jornal Amazonas, edição de 3 março.

Em fevereiro de 1907, desembarcam em Manaus, viajando no vapor Anselm, os engenheiros ingleses Orner Rosenlecker e Huascar Puncell designados para a construção das obras.
No mês seguinte, o governo brasileiro autoriza esta empresa a funcionar no País. As cláusulas da concessão são reconhecidas pelo ministro da Viação e Obras Públicas, e se tornam públicas pelo decreto nº 6.030, de 15 de maio de 1906. Entre outras determinações, havia a que obrigação da empresa inglesa de manter um representante no Brasil, capacitado a resolver as pendências entre o governo e os particulares.
Parte das máquinas na instalação do
Bombeamento, 1907
Para o início das obras são alocados recursos da ordem de 595 mil libras esterlinas, dos quais, 65 mil para fins de fiscalização e administração dos serviços. Para melhor atender a quantidade de cargas, a empresa freta vapores da Booth Line.

Também em beneficio das obras, ocorre uma mudança na direção. Dois sócios, Antonio Lavandeyra e o conde Rymkiewicz, deixam a direção da sociedade para permanecer o primeiro em Manaus, na superintendência dos serviços. E o segundo instala-se em Londres, para acompanhar e fiscalizar o material necessário as obras.
Família observa a atual tomada de água no
Bombeamento, 2011
No entanto, um problema grave ocorreu com o fornecimento de energia elétrica, quando do funcionamento das bombas na estação da usina do Bombeamento. (segue)