CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

15 de dezembro de 2012

DESASTRE DO PP-PDE – 50 ANOS (2º dia)


Recorte O Jornal,
15 dezembro 1962

O acidente com o Constellation da Panair do Brasil aconteceu no inicio da madrugada de 14 de dezembro de 1962. O avião que partira às 22h do aeroporto de Val de Cans, em Belém (PA), deixou de aterrissar a hora marcada, dando iniciando a um transe nos que aguardavam os passageiros no aeroporto de Ponta Pelada.

Sem nenhum recurso que pudesse de pronto esclarecer a demora, somente restou se agarrar na esperança de que nada de grave houvesse acontecido. O cronista L. Ruas narrou: foi uma noite em branco, olhando o céu e aguardando o ronco característico de um avião. Mas, nada aconteceu.

Apenas se sabia que a aeronave partira de Belém e deveria chegar a Manaus, mas o final do trajeto não ocorreu. No dia imediato, estampou o matutino dos Archer Pinto: “Denso mistério envolve o destino do Constellation PP-PDE”. A população se envolveu na busca do avião, os rádios-amadores buscavam entre os colegas qualquer sinal; o jornalista Ulisses Oyazarbal empenhou-se com sua veloz lancha pelas águas até o rio Preto; o governo, em conseguir helicóptero, porque helicóptero não havia na região.
Recorte de O Jornal, 15 dezembro 1962
O drama, portanto, transpôs o dia, com a cidade angustiada de olhos no céu. De repente, diante do mistério, “correu uma versão de que o avião teria sido sequestrado por estrangeiros, embarcados”. Isso trouxe nova esperança aos atormentados familiares. Outras informações, algumas sem cabimento, voavam de um lado a outro. Mas, o Constellation  e seus passageiros (43) e tripulantes (7) seguiam desaparecidos. A tragédia ainda demoraria a ser revelada.