CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

25 de junho de 2012

CORONEL ILMAR FARIA (1946-99)

Coronel Ilmar Faria
Hoje, meu saudoso amigo Ilmar, Faria sessenta e seis anos, oito dias mais novo que eu, não fosse a antecipação tomada em “atravessar o rio Negro” em 1999. Quero lembrar o coronel Ilmar, da Polícia Militar, que deixou nesta cidade e outros cantos do país manifestas recordações, devido sua ativa e vibrante participação em vários campos de atividade.

Encontrei-o ao ingressar na Polícia Militar, como tenente, ambos prestes a festejar os vinteanos. Quanta juventude, quanta empolgação na caserna da Praça da Polícia que, ao contrário, estava destituída de muitos atributos.


Dona Isis Faria, em foto de
jornal, 1943
Ilmar morava na rua Saldanha Marinho, na residência dos pais, o bacharel Olavo Faria, dedicado homem do direito, atuante e destemido. Às vezes, até demais... A mãe, dona Isis Faria, bela mulher que, para resumir, fora Miss Manaus, nos idos de 1940. Também ela afoita e resolvida. O filho, sempre elegante e bem vestido, inovava a cada dia na PM. Criou junto com os colegas Medeiros e Alfaia (hoje dois volumosos) o CDP “clube do pão” (pão=homem elegante).

Meu colega já empolgava a sociedade como dançarino e integrante de grupo musical, que dublava os grandes sucessos. Os jovens de então assistiram seu desempenho no Ideal e no Rio Negro e no Cheik Clube.

A corporação policial militar ganhou um futebolista, além da técnica, que o levou a clube profissional da cidade, sabia conduzir seus pupilos. Quando a idade não mais permitia o esforço dentro do campo de futebol, passou a treinar os jovens.

No campo do CIM (Centro de Instrução Militar), na rua Dr. Machado e depois no do Clube dos Oficiais, houve encontros memoráveis entre duas equipes de oficiais. Coronel Ilmar era um dos incentivadores, mais que isso, armador competente.

Morto em abril de 1999, em sua homenagem e para premiar seu nome, o governo do Estado construiu uma quadra esportiva na Manaus Moderna, junto a dois quarteis – da Polícia Militar e dos Bombeiros. Ontem, os dois foram transferidos e, hoje, a quadra vai se transformando em DIP (Delegacia Integrada de Polícia), assim  desaparecendo a única homenagem a este oficial.

A partir da esq., coronéis Roberto, Brandão, Oscar (da PMESP) e
Ilmar Faria, então secretário de Segurança
Em uma eleição municipal, que não recordo a data, coronel Ilmar candidatou-se a vereador. Recomendei-lhe que mudasse o sobrenome Faria para Farah. Não foi eleito pelos manauenses, mas seguiu estimado pelos inúmeros amigos e colegas da briosa corporação da Praça da Polícia.

Sei que há muito para relatar, quem sabe amanhã ou no próximo encontro. Na sexta-feira, os colegas reúnem-se para o almoço mensal, nele saberemos recordar este companheiro.