CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

16 de fevereiro de 2011

Memorial Amazonense (XLVI)

Fevereiro, 16


1876 – Nasce em Manaus, o bacharel Heliodoro Balbi, formado pela Faculdade de Direito do Recife, em 1902. Jovem competente, daí ter sido selecionado como orador da turma. No retorno a Manaus, conquistou uma cátedra no Ginásio Amazonense.
Dividiu-se entre o jornalismo e o magistério, mas teve que exercer a profissão para manter a família. Quando da criação da Universidade Livre de Manaus (1909) foi um dos fundadores e professor na Faculdade de Ciências Jurídicas.

As dificuldades políticas e financeiras levaram-no a incursionar no Tribunal do então Território Federal do Acre. Não mais voltou, morreu em Rio Branco, a 26 nov. 1918.
Também foi fundador da Academia Amazonense de Letras, em janeiro de 1918, meses antes de sua prematura morte. Ocupou a cadeira 2, de Tito Lívio Castro, que uma reformulação acadêmica tornou 27, de Castro Alves. Sua produção literária quase desapareceu, restando raros poemas e algumas crônicas editados em jornais.

Dom Basilio Pereira
Entre as homenagens recebidas, acabo de alcançar a do bairro de Guadalupe, no Rio de Janeiro. Ali, encontra-se a rua Dr. Heliodoro Balbi (21660-310), junto a outros nomes nossos conhecidos: Joaquim Sarmento, Manoel Barata, Torquato Tapajós, general Salgado dos Santos. Passando pela Avenida Brasil, do Rio, basta esticar o pescoço para ver a rua de nosso conterrâneo.
Tomara que lá o nome de Heliodoro seja mantido, não seja substituído como em Manaus, onde a sua praça é da Polícia.

1926Dom frei Basílio Olímpio Pereira toma posse, em Manaus, tornando-se o 4º bispo diocesano do Amazonas.

1946Júlio José da Silva Nery, bacharel, é nomeado Interventor Federal do Amazonas. Nascido em Manaus, era filho do ex-governador Silvério Nery. Seu curto mandato estendeu-se até 31 de agosto.
Julio Nery (ao centro) e Álvaro Maia (à dir.), no dia da posse,
O Jornal, 16 fev. 1946
1952 – O papa Pio XII, consoante a bula Ob Illud, erige a província eclesiástica de Amazonas, desmembrando-a do Pará. Aproveita, e promove Dom Alberto Gaudêncio Ramos a arcebispo, por sinal, o primeiro, seguido de Dom João de Souza Lima.

2003 – O embaixador José Viegas Filho, ministro da Defesa, aliás o primeiro, desembarca em Manaus para conhecer a Amazônia. Entre outras atividades, visita o SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia).