CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

9 de fevereiro de 2011

Manáos v. Manaus (IV)

Três momentos da capital do Amazonas. O desfile de Sete de Setembro em 1955, que mostra a guarda bandeira da Polícia Militar, sob o comando do tenente Barbosa Filho. Era mais conhecido por Barbosão na esfera desportiva, por ser treinador do Nacional Futebol Clube. Apesar de tenente, comandou a PMAM no posto de coronel, por obra e graça de seu amigo, governador Plínio Coelho. A parada então acontecia ao lado do Teatro Amazonas.

Parada de Sete de Setembro, em 1955, com tenente Barbosa Filho
A foto do maior edifício da capital – o IAPETC. Traduzindo, queria dizer Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados no Transporte de Cargas. Hoje INSS. Durante anos foi o mais alto e, portanto, sinônimo de grandiosidade. Já restaurado, segue situado junto a praça Pedro II.
Edifício do IAPETC, hoje do INSS, em Manaus
A foto dos anos 1940 mostra o pessoal da Força Policial se exercitando em quadra localizada na rua atrás do Quartel da Policia Militar. Veja ao fundo o cinema Guarany. Este logradouro, em 1954, foi urbanizado e recebeu o nome e o monumento de Ribeiro Junior. A iniciativa coube ao deputado Arlindo Porto, ainda em plena atividade na Academia Amazonense de Letras.
Em 1969, residi nesta praça no edifício Lilac, ainda existente. Mas, o prefeito Jorge Teixeira, a partir de 1975, remodelou o espaço, demolindo a praça para construir o corredor de ônibus. Então, o capitão Ribeiro Junior perdeu o brasão e o monumento. Hoje transitamos pela avenida Floriano Peixoto.

Acima, quadra de esporte da Força Policial, na
avenida Floriano Peixoto (abaixo)