CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

21 de abril de 2012

Evocação de Manaus - 2

O título desta, já declarei antes, tomei do livro do saudoso senador Jefferson Péres, no qual nosso conterrâneo relembrou a Manaus de sua vida ou sonho. Mas, o recorte do jornal e outras imagens pertencem ao amigo Ed Lincon.

Entre outras saudades, Péres relembra o transporte coletivo. Ao tempo da transição entre o bonde estabelecido pelos ingleses e os primeiros ônibus, fabricados em fundo de quintal. O Zepelin foi um deles, um ônibus com nome e formato semelhante ao dirigível que se esborrachou em Paris (FRA), desastre que pôs fim àquele meio de transporte aéreo.

Jefferson Péres, em sua Evocação, assim relembra esse período:

Jornal do Comércio, Manaus, 29 junho 1948
No final dos 40, os serviços da Manáos Tramaways  passaram a se deteriorar. Com a encampação da velha concessionária inglesa, essa deterioração se acelerou e os bondes começaram a ser desativados. Foi quando surgiram os primeiros
ônibus na cidade. Eram carros improvisados, toscos, com carrocerias de madeira, construídas aqui mesmo, e eram tão raros que chegavam a ser individualizados por nomes próprios, como Pirata da Perna-de-Pau e Periquito da Madame, marchinhas carnavalescas em voga. Depois, surgiu um de melhor acabamento, o Zepelin, em forma de dirigível, que fez enorme sucesso pela sua aparência exótica.

Agora, é o Jornal do Comércio que narra a prova do Zepelin:

Em construção pelo Sr. Joaquim Barata
Júnior o original veículo, que poderá
transportar 64 passageiros sentados, estando
seu custo em 200 mil cruzeiros.

Vai Manaus contar, a partir de domingo vindouro, quando será inaugurado, de mais um confortável ônibus. O "Zepelin", como será chamado esse transporte de passageiros, não tem o que o que tirar, quanto à sua feição, do aparelho que lhe deu o nome.
Zepelin em frente à sede do Atlético Rio Negro Clube

A nossa reportagem, informada da existência desse ônibus, de forma sui-generis, aqui para nós do Amazonas, esteve, ontem nas oficinas do Sr. Joaquim Barata Junior, à avenida Sete de Setembro, o qual é seu proprietário, e ali pode constatar, realmente,  que se esta construindo um ônibus como nos haviam informado.

Aliás, é de se ressaltar que àquele local tem comparecido grande número de curiosos, que procuram se informar do bojudo Zepelin, que dentro de poucos dias estará voando por toda a Cidade.

Chegados ao local da construção, fomos recebidos pelo Sr. Joaquim Junior, que se colocou a nossa inteira disposição, tendo nos contado que se baseou na construção, em um ônibus com aquela forma, existente no vizinho Estado do Pará. Contou-nos aquele senhor ter sabido, de fonte não muito certa, que o proprietário do transporte "Zepelin", de Belém, havia feito o registro de patente no Rio de Janeiro, o que não permite seja feito outro, isto é, por outra pessoa, mesmo dentro daquele Estado, senão pelo dono do, registro. Agora mesmo, ao que consta, o proprietário' dessa invenção recebera uma proposta de um industrial de São Paulo, para compre daquela patente, pela soma de Cr$ 300.OO0,OO, no que não foi atendido.

-- E, como foi que conseguiu permissão para aqui fazer a construção? Indagamos.
-- Ora, Sr. Repórter, é muito simples. Eu também desejo ver o Amazonas orgulhoso, por este bonito feito. Entretanto, o meu “Zepelin” não está parecido, nem um pouco, com o de Belém. Andei, para tanto, dando uns "driblings”, a fim de que, no caso de ser verdadeira essa versão do registro de patente, pelo comerciante paraense, eu poder provar que o "Zepelin” amazonense não é igual ao paraense.
Zepelin, diante do Ginásio Amazonense ou Colégio
Estadual, fotografado da Praça da Polícia
A construção do "Zepelin" de Manaus já está por Cr$ 200.000,00, podendo conduzir 64 passageiros' sentados. Possui chassis próprio para ônibus, com teto interno forrado a couro e poltronas estofadas, com molas no assento e no encosto.
O seu comprimento é de 12 metros, medindo 2m80 de diâmetro circunferencial, na sua parte mais bojuda.

O "Zepelin" amazonense será inaugurado no próximo domingo, quando fará várias voltas pela cidade com as autoridades e imprensa, que serão convidadas para esse fim, pelo Sr. Joaquim Barata Junior.