CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de fevereiro de 2012

Informativo do IGHA


Recorte da página incial do Informativo de fev. 2002

Prometi divulgar até o final de janeiro um boletim sobre as atividades do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA), mas não cumpri. A explicação é simples: apenas no sábado passado 4, esta entidade abriu suas portas para o exercício corrente. Assim, sem qualquer atividade e de portas cerradas na Casa de Bernardo Ramos, fiquei na promessa.

Volto a me comprometer com a encomenda, para este fevereiro voltará a circular o Informativo, em busca da qualidade que, há dez anos, o talento do saudoso Ruy Lins fazia acontecer.
Em homenagem ao trabalho de RACL (Ruy Alberto Costa Lins), como assinava, reproduzo parte do Informativo que circulou em fevereiro de 2002.

A presidência cabia ao Dr. Roberio Braga, mas eu, na condição de vice-presidente, tive oportunidade e ofereci esforços capazes de reabrir com brilho aquela Casa. Lembrando que o imóvel havia passado por reforma geral, mas o acervo se encontrava no chão. Na ocasião, o empenho nao apenas pessoal, mas de colegas complementou o reparo. Ainda em nossos dias serve ao Instituto.

Do Informativo, transcrevo a nota redigida por RACL, anunciando com vivo sentimento a morte do ex-presidente comendador Junot Carlos Frederico. Devo acrescentar que, estando na presidência da Casa, eu bastante me empenhei para melhor homenagear ao morto.
Diretoria
Minha relação com o comendador Junot, como gostava de ser conhecido, datava de quando o Museu de Numismática, sob sua direção, foi transferido para o quartel da Praça da Polícia. Estreitamos a amizade. E, como eu dirigia ao Museu Tiradentes, foi fácil repartir nossa pobreza e os diversos assuntos da história amazonense. Enfim, foi ele que me credenciou para o ingresso no IGHA.

Seu falecimento aconteceu a 20 de janeiro de 2002, dia de São Sebastião.

com imensa dor que registramos o falecimento do comendador Junot Carlos Frederico. Durante 15 anos foi Secretário-Geral e, posteriormente, de 1990 a 1995, Presidente do IGHA. Tomou posse a 25 de março de 1966, portanto, há 36 anos ocupava a Poltrona n.º 12, cujo patrono é Bernardo Ramos.
Tão rude e profundo golpe para os seus familiares, numerosos amigos, associados do lGHA ocorreu a 20 de janeiro de 2002, um domingo sem sol e sem chuva, mormacento e triste, assinalando assim, com pesar, a definitiva viagem do nosso distinto confrade.
No Informativo n2 de outubro/2001, está registrada a homenagem que o IGHA prestou ao ilustre e dileto Presidente. Agora, passada a tristeza, fica a lembrança. Foi um gigante na Casa de Bernardo Ramos. Não existem palavras que traduzam a sua dedicação, brilho e competência no trato de todos os assuntos que estivessem relacionados com o IGHA. Sempre honrou, com dignidade e trabalho, com sacrifício e pendor, as responsabilidades e posições que assumiu na Instituição.
A nossa lembrança de Junot Carlos Frederico será eterna".