CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

22 de abril de 2018

MANAUS - 1988 (1)

Trecho de igarapé não identificado

Até que o governo intentou, porém a ligação viária do roadway ao Distrito morreu no nascedouro, ou seja, na própria Manaus Moderna. Há 30 anos (Amazonas Em Tempo, 15 abril) o governo divulgava esta esperançosa obra. Nesse meio tempo, o Porto trocou de proprietário, o Chibatão montou um porto “chibata”, o Encontro das Águas não condescendeu com os investidores em um porto no Puraquequara, enfim, o Centro perdeu sua importância, assim a promessa viária foi pras calendas.  

Uma das prioridades do Projeto Manaus Moderna, iniciado no governo Gilberto Mestrinho, é melhorar o saneamento básico dos igarapés de Manaus, Bittencourt, Mestre Chico, Japiim e Cachoeirinha, onde serão implantados canais. E o secretário de Transportes e Obras, José Augusto de Almeida, avisa: Manaus será dotada de um corredor viário, ligando diretamente o centro industrial à zona portuária, aliviando a área central da cidade do engarrafamento do trânsito pesado.


Outra obra viária da mesma época preocupava os moradores da rua Japurá com Ferreira Pena. Afinal o leito do igarapé foi consolidado e a artéria hoje permite um forte fluxo de veículos na direção centro-bairro. A nota pertence ao jornal Amazonas Em Tempo (18 abril 1988).
As obras do trecho interditado da rua Ferreira Pena (foto) entre as avenidas Tarumã e Japurá, poderão ser concluídas em menos de 30 dias. O presidente da Empresa Municipal de Urbanização, Geraldo Barreto, informou que o atraso foi em virtude de alguns equívocos no projeto original, que determinava a colocação de tubos de concreto para o escoamento do igarapé, o que terminou não sendo aprovado pelos técnicos.