CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

21 de abril de 2018

"GARAJÃO" DA PREFEITURA


Há muito tenho uma sugestão para o prefeito: efetuar a primeira demolição de um prédio na capital. Quase não há dificuldades, pois o elefante pertence à Prefeitura: o "Garajão" ou o Edifício-Garagem Jorge Teixeira (Teixeirão já deve ter saltado do túmulo com essa homenagem). A “casa própria do seu carro”, como
Anúncio da Prefeitura (*)
intitulou a propaganda oficial, foi construída com entrada pela rua sem saída, de pouco trânsito, por isso de mão única. Até o SINE desistiu de se abrigar nas salas térreas. Hoje, um desperdício.
De outro modo, quero me penitenciar: não foi o prefeito Artur Neto quem o construiu. Foi o prefeito Manoel Ribeiro, inaugurando-o em maio de 1988, celebrando os 140 anos da inauguração de Manaus. Baita presente!!!!



Recorte do jornal Em Tempo
Reconstruir uma cidade. Foi esta a missão que o professor Gilberto Mestrinho deu ao prefeito Manoel Ribeiro. Você acreditou, votou, elegeu com uma grande votação. O troco está aí, próximo de você que acreditou e acredita. Estes cinco primeiros dias de maio vão garantir que você estava certo ao acreditar na indicação do professor Mestrinho. Preste atenção: no centro da cidade, está sendo inaugurado (no dia 5 de maio) o Edifício Garagem Jorge Teixeira, que não é uma obra relevante apenas por seu projeto arquitetônico, mas, principalmente, pelo que significará em questão de segurança, para você que investiu muito no seu carro. Esta obra que você pagou com seus impostos está orçada em mais de 150 milhões de cruzados. Vai gerar uma receita de 450 milhões de cruzados que será investida em educação, saúde, urbanismo, e outras necessidades prioritárias que a cidade reivindica.Nunca uma administração municipal, em Manaus, foi tão transparente. Agora, você sabe para onde vai o dinheiro que você paga em impostos. Está aí, do seu lado, servindo você.E você tem razão: o prefeito Manoel Ribeiro pensa em tudo e apresenta a casa própria do seu carro.

(*) Material de propaganda retirado do jornal Amazonas Em Tempo (24 abril  1988)