CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

9 de janeiro de 2012

Estreia de "Mulheres"


Capa de Mulheres

Não posso afirmar que houve o lançamento de livro, creio que houve uma estreia.  Almir Diniz aproveitou a abertura anual do Chá do Armando, acontecida na última sexta-feira, marcada pela chuva torrencial e o novo blecaute de energia, para ofertar seu novo livro de poesia.
Intitulado de Mulheres, o livro foi impresso pela Expressão Gráfica Editora, em Fortaleza (CE), onde o autor passou o derradeiro trimestre. Em seis meses, são três, todos de poesia, os livros deste profícuo acadêmico, que acaba de ser eleito vice-presidente da Academia Amazonense de Letras. A posse da nova diretoria ocorre no sábado, 14.
Agradeço o sentimento deste poeta pela lembrança de meu nome, entre os distinguidos em seu Mulheres.
As mulheres sempre me encantaram, por isso, passei de cabo a rabo (com o perdão da má palavra) o “Mulheres”. Desejava escolher a melhor ou o melhor poema, na carência de experiência lírica segui o autor, que expos o seu (ou a sua) na cantracapa. Leia abaixo.
Para encerrar, um reparo no trabalho gráfico: o tamanho da fonte empregado e a cor utilizada na capa e orelhas dificultam a leitura. Desconheço se o livro será posto à venda, creio, sim, que será ofertado pelo Diniz, afinal as “Mulheres” lhe pertencem com dignidade.
Contracapa

Corpo de Mulher

Foi num dia de festa, pompa e riso,
de alegria e lazer
... só que faltava
ao Mestre, a obra-prima que buscava:
o supremo projeto e decisivo.
Juntou elos esparsos... - era preciso
produzir algo raro, e pesquisava... -,
uniu luz, cor e massa... e não achava
o toque especial, definitivo.
Por fim, mentalizou o que queria
e sorriu. Sua bela obra, viva e pura,
chegara
. E superava a idéia em tudo.
Deu-lhe formas sutis, doce magia
e malícia divina... Era a escultura
um corpo de mulher... pleno e desnudo!
Manaus (AM) 1996