CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

11 de agosto de 2011

Lançamento de Igapó

Capa do livro Igapó
Ontem, na Livraria Saraiva Megastore, ocorreu o lançamento do livro póstumo de Anísio Mello, Igapó, em 2.ª edição, promovida pela Editora Valer (302p. R$ 40,00). A apresentação do trabalho, que reproduz estórias e lendas da Amazônia, foi feita pelo filho do autor, Mello Júnior.


Júnior foi muito feliz em sua explanação ao descrever a saga do pai e de como foi montado este livro. Anísio Mello, o autor, recolheu de diversas fontes o conteúdo de seu Igapó. Fartamente ilustrado, “os traços de J. Lanzellotti, um dos mais completos ilustradores de nosso país, constante da primeira edição, reconhece Sérgio Pereira, que elaborou a orelha do Igapó.

Reproduzo abaixo uma página em tributo ao multiartista Anísio Mello.

O jabuti e a onça

Um jabuti e uma aranha fizeram uma espécie de sociedade e moravam juntos. O jabuti, tendo matado uma anta, estava ocupado em cortar a carne, quando apareceu uma onça.
- Ó jabuti - disse ela - que é que você está fazendo?
- Matei uma anta e estou preparando a carne - respondeu o jabuti.
- Eu vou ajudar você - disse a onça. E imediatamente começou a ajudar a ela mesma, comendo a carne, com grande desgosto do jabuti.
Este disse então à onça:
- Estou com muita sede e vou buscar alguma água. Aranha, continue a guardar a carne em casa...

O jabuti andou uma pequena distância, molhou-se no orvalho e voltou.
- Onde encontrou água? - perguntou a onça. - Eu também estou com sede...
- Vai nesta direção - disse o jabuti, indicando com o dedo. - A água está precisamente embaixo do sol. Vai muito direito, seguindo sol e encontrarás a água.

Ilustração de J. Lanzellotti
A onça andou, andou, mas não encontrou água; assim, desapontada, voltou para acabar com a carne da anta, porém o jabuti e a aranha, enquanto a onça estava ausente, apressaram-se guardando toda a carne na casa da aranha, deixando somente os ossos para a onça.
(Informa o autor que a lenda foi extraída de Charles Frederick Hartt. Os mitos amazônicos da tartaruga. Recife: Arquivo Público Estadual, 1952)