CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de agosto de 2011

Exposição do Jorge Palheta

Ontem o jornal A Crítica divulgou a exposição Jorge Palheta: uma vida, uma arte. A mostra acontece em dependência da loja Bemol, situada no Manauara Shopping, e não tem data para terminar ou não foi anunciada pela reportagem. De qualquer sorte, fica o convite.
A Crítica, Manaus, 6 ago. 2011

O convite não é somente para ver, apreciar as cores vibrantes do Palheta, mas sim para adquirir as obras expostas, cuja arrecadação dará novo alento ao artista. Palheta vem lutando duramente contra doenças graves.

Os preços das telas variam de R$ 800, a R$ 1.500, para o tríptico intitulado Tambores de Ébano. E podem ser adquiridos diretamente com o artista pelos telefones (92) 3663-0397 e 8141-3307 ou em sua residência a rua Maués, 1120, bairro da Cachoeirinha.

Jorge da Silva Palheta nasceu em Manaus, no hospital Darcy Vargas, que funcionou no bairro de Educandos, em setembro de 1953.

Como desenhista publicitário, trabalhou na Oana Publicidades; J. Propaganda e Amazonas Publicidade. Na condição de desenhista técnico do Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas (INPA), efetuou ilustrações sobre peixes, aves, insetos, frutos regionais etc.


Em outra nuance de seu trabalho, ilustrou vários livros, talvez o mais destacado ou o mais volumoso seja Amazônia: um pouco antes e além depois, de Samuel Benchimol, cuja 2.ª edição saiu ano passado. Alinda deste autor, Palheta fez ilustrações para o Petróleo no Juruá e A Duodécada – reflexões e cenários amazônicos.

Igualmente produziu a capa e as ilustrações do Sermão da Selva, de Max Carphentier. E iustrou poemas expostos em jornais culturais, lembrando os poetas Anísio Mello, Duílio Gomes (Parábola do Roncador), Walmyr Ayala (Canto Amazônico), Maria José Hosannah (Tropel).

Enfim, quando da visita do papa Joao Paulo II a Manaus, em 1980, Palheta fez a doação ao Vaticano da tela Deus sobre a ecologia, tendo recebido agradecimentos assinados pelo cardeal E. Martines, secretário papal.

Agora, Palheta busca condições para curar os olhos, pois somente com este benefício pode prosseguir com seu trabalho, sua arte. Mas, ainda há a curar outras enfermidades, em síntese, Palheta pede socorro