CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

12 de março de 2011

Manáos v. Manaus (VI)

Em seu governo (1900-04), Silvério Nery resolveu difundir na Europa e outros países o estado do Amazonas. Para isso, contratou a organização de um álbum fotográfico, que ficou conhecido pelo sobrenome do autor: Luiz Fidanza.

O trabalho fotográfico foi realizado entre os anos de 1901-02, e mostra as diversas construções em especial da capital.
Apesar do nome, tratava-se de um paraense proprietário de uma casa comercial do ramo em Manaus. Fidanza logo vendeu seu comércio para o conhecido fotógrafo Georges Huebner.
Dois detalhes: o imóvel ao fundo foi adquirido em Portugal pela
família Pires e modificado a partir de 1960. Outro, a altura da ponte,
que parece ter desaparecido com o aterramento
Os locais das fotos postadas são facilmente reconhecíveis. São as pontes romanas existentes na extensão da av. Sete de Setembro (antiga rua Municipal). A primeira, antes do Palácio Rio Negro, homenageia ao Marechal Deodoro; a segunda, após o palácio, tem o nome de Floriano Peixoto. Mas raros sabem dessas denominações.
Os logradouros nos dias atuais foram fartamente modificados, constituindo o Parque Jefferson Péres.

Segunda ponte romana na avenida Sete de Setembro, em Manaus