CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

19 de dezembro de 2011

Academia Amazonense de Letras tem novo presidente

Arlindo Porto, 82, venceu com ampla vantagem a eleição para o biênio 2013-2014. Representante do grupo que domina a AAL desde 1996 – excetuando-se o intervalo 2004-2007, quando foi presidente Elson Farias –, Arlindo Porto deve manter a Academia voltada para si mesma, sem contato real com o público externo, que tende a vê-la como uma espaçonave oriunda de outra galáxia.
Resultado esperado, a surpresa ficou com o discurso contundente do Escritor (com maiúscula, um dos poucos entre os 38 membros atuais) Aldisio Filgueiras, fazendo ver ao grupo que se pretende hegemônico que há, sim, insatisfação entre os acadêmicos. Aldisio não titubeou em classificar como fascista essa hegemonia forçada.

Lembro o sábio Nelson Rodrigues: “toda unanimidade é burra!”
Anísio Mello (1928-2010)

A posse ocorrerá nos primeiros dias de janeiro.
O texto foi extraído de "palavra do fingidor", que escreveu assim mesmo sobre o próximo biênio. Mas, AP deve dirigir inicialmente a Casa de Adriano Jorge entre 2012 e 2013.
 
 Desejo lembrar ainda a posse do novo acadêmico: Arthur Virgilio Neto, ocorrida na sexta-feira 16, na cadeira 3, vaga com a morte do multiartista Anísio Mello.
Postado em Telêmaco Borba (PR).