CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

24 de maio de 2010

Memorial Amazonense XXIII

Maio, 24

1858 – Nasce em Campina Grande (PB), Dom João Irineu Joffily, terceiro bispo do Amazonas. Dirigiu a Igreja do Amazonas entre 1916 e 1924, quando foi transferido para o arcebispado do Pará.




 1898 – Nasce em Osela (POR), José Maria Ferreira de Castro. Quando jovem, visitou a região amazônica, primeiro parada na cidade de Belém (PA) e depois em um seringal no rio Madeira (AM), extraindo dessa experiência os fundamentos do livro A Selva, publicado em 1930.




Doado pela Sociedade Amigos de Ferreira de Castro, da Ilha da Madeira (POR), ao tempo do Prefeito Manoel Ribeiro, o busto do escritor português foi inaugurado em 1986, na Praça da Polícia, em Manaus.


1903 – Nasce em Manaus, Aristophano Antony. Era filho de Leandro Perdigão Antony e de Maria Ferreira Antony. Foi casado com Edail Cordeiro Antony (filha do coronel Pedro Henrique Cordeiro Junior) e tiveram oito filhos, pela ordem: Leandro, Maria Eneida, Ruth, Maria Luiza, Maria de Lourdes, José Rogério, Flavio e Ana Rita.


Jornalista por vocação, exerceu o mister ao longa da vida. Assim, trabalhou nos jornais de Manaus Jornal do Commercio e O Dia, alguns fundados por ele, como O Jornal. Em 1937, fundou o próprio jornal, o vespertino A Tarde. Com o desaparecimento deste, passou a colaborar em A Crítica.


Foi presidente do Atlético Rio Negro Clube durante 16 anos. Ingressou na Academia Amazonense de Letras em 1947. Pertencia também ao Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (Igha) e da Academia Acreana de Letras. Fundador da Associação Amazonense de Imprensa, foi seu presidente até sua morte.


Morto em 3 de agosto de 1968, está sepultado no cemitério São João. Toda sua obra literária aconteceu postumamente: Sombras e Reflexos (21 nov. 1968); Política, Democracia e Revolução (critica literária) e Evocações Sentimentais (um canto de fé, esperança perseverança e exaltação à sua companheira de todas as horas).


No centenário de seu nascimento, a Casa de Adriano Jorge dedicou-lhe a sessão solene, ocasião em que distribuiu a Seleta do Centenário, organizada por Max Carpenthier e Flávio Antony.


1958 – Toma posse no arcebispado do Amazonas, em solenidade realizada na Catedral de Manaus, Dom João de Souza Lima. Oriundo da diocese de Nazaré (PE), cujo brasão (foto) assinalava sua vocação pela Igreja. Permaneceu no posto até 1980, ocasião em que renunciou ao cargo.

1950 – Nasce em Itacoatiara (AM), Paulo Roberto Vital de Menezes. Realizou seus estudos secundários no Seminário São José, instalado no cruzamento da rua Emilio Moreira com Ramos Ferreira. Desativado o seminário, ali funcionou o Instituto de Ciências Humanas e Letras (Ichl) da Ufam. Hoje, abriga um departamento da Uninorte.
Vital ingressou na Polícia Militar do Estado e, sendo major, comandou o 2º batalhão de polícia, na Velha Serpa. Na reserva como coronel, segue trabalhando na direção da Segurança do Estado, como subsecretário.