CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

2 de março de 2012

Informativo do IGHA (1)

Estou reproduzindo parte do Informativo do IGHA, circulado em março de 2002, portanto, há dez anos. A edição estava a cargo do saudoso membro desta instituição cultural Ruy Alberto Costa Lins.


A capa da edição reproduzia a foto da inauguração
do IGHA, acontecida na Câmara Municipal. Parte deste
mobiliário se encontra no acervo do Instituto

Meticuloso, exigente ao extremo, Ruy Lins deu expansão ao boletim, que se iniciou com ralas notícias sobre o Instituto. A seguir, e a cada mês, como se vê deste exemplar, avançava com detalhes que somente seu mantenedor sabia onde encontrá-los.

Um dia, Ruy Lins aborreceu-se com alguma coisa dentro da Casa de Bernardo Ramos, e pediu o chapéu. Melhor, jogou o chapéu. Somente que o Informativo foi junto, parou de circular. Estou tentando renová-lo, mas ainda não foi no mês do carnaval.

Com o título Momentos de nossa história, a coluna relacionava os eventos mais significativos da evolução do Amazonas. Apenas adaptei o texto aos novos cânones e exigência de publicação. O texto, pois, pertence ao saudoso mestre Ruy Lins.
Ruy Lins (à dir.) e Geraldo dos
Anjos, atual presidente

1755, 3 de março
Mediante Carta Régia é adotada a emancipação administrativa da capitania de São José do Rio Negro, com a nomeação de Joaquim de Mello e Póvoas para seu 1º governador, tendo a sede na vila de Barcelos, no rio Negro. O novo governo foi instalado a 7 de maio de 1755.

1808, 29 de março
Efetivada a transferência definitiva da capital, da vila de Barcelos para o Lugar da Barra do Rio Negro. Era governador da capitania do Grão Pará o conde dos Arcos, dom Marcos de Noronha e Brito, e o novo governador da capitania de São José do Rio Negro seria o capitão de mar-e-guerra JoJoaquim Vitorio da Costa.

1861, 4 de março  
Manoel da Silva Ramos morre em Manaus, aqui chegado de Belém (PA), no início de 1851. Considerado o introdutor da imprensa no Amazonas, quando fez circular o jornal Cinco de Setembro, nome logo mudado para Estrela do Amazonas. Era um homem empreendedor e de bons princípios morais e culturais.
Foi vereador da Câmara de Manaus. A rua Silva Ramos, no perímetro urbano, é uma homenagem da cidade. Teve três filhos, um dos quais, Bernardo de Azevedo da Silva Ramos, foi fundador do IGHA.

1877, 2 de março 
Morre o Dr. Annio José Moreira. Nascido em Salvador (BA), médico pela Escola de Medicina da Bahia, veio para Manaus em virtude de função exercida na Marinha. A história o registra como um homem digno sob todos os aspectos. Em Manaus, temos a rua Dr. Moreira, em sua homenagem.

1878, 7 de março
Toma posse como presidente da Província do Amazonas, marechal Rufino Eneias Gustavo Falcão (1831-1909), visconde de Maracaju, cargo que exerceu até 25 de agosto de 1879.

1882, 7 de março  
Dr. José Lustosa da Cunha Paranaguá toma posse como o 22º presidente da Província do Amazonas, tendo governado de 17 de março de 1882 a 16 de fevereiro de 1884. Destacou-se, não penas pela sua honradez e cultura, mas, sobretudo, pela excelente administração que levou a efeito no Amazonas. Lutou bastante pelo término da escravidão na Província, tendo contribuído para a alforria de um grande número de escravos. Tinha o título de marquês de Paranaguá.

1884, 11 de março
Toma posse como o 23º presidente da província do Amazonas o Dr. Theodoreto Carlos de Faria Souto, tendo governado apenas até  dia 12 de julho de 1884, quando foi afastado do governo pelo fato de ter assinado o ato extinguindo a escravatura no Amazonas. Manaus o homenageia com a rua Theodoreto Souto, no centro da cidade; outra lembrança relacionada com o seu nome é a rua Dez de Julho. Foi a 10 de julho de 1884 que Souto emancipou definitivamente os escravos no Amazonas.

1888, 29 de março
Nascimento de Waldemar Pedrosa, em Manaus. Pontifica como um dos mais brilhantes filhos do Amazonas. Foi professor catedrático de Direito Criminal da Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais de Manaus; Procurador Fiscal; Deputado Estadual; Secretário Geral do Estado; lnterventor Federal; presidente da OAB-AM; procurador regional da República; Senador da República e Ministro do Tribunal Superior do Trabalho. Todas essas atividades foram exercidas com austeridade, honradez e brilho.
Na Academia Amazonense de Letras ocupou a Cadeira nº 26, cujo patrono é Rui Barbosa, tendo sido seu Presidente. No lGHA é o patrono da poltrona nº 50, atualmente ocupada pelo doutor João dos Santos Pereira Braga.

1891, 23 de março
É criado o município de Fonte Boa (AM), com território desmembrado do município de Tefé. A 31 de março de 1938, por
d
eterminação do governo estadual, a sede municipal é elevada à condição de cidade.

1892, 11 de março
Eduardo Gonçalves Ribeiro assume como governador do Estado do
Amazonas
. É oportuno relembrar que Eduardo Ribeiro foi um dos mais ativos e competentes governadores que o nosso Estado já possuiu, entrando definitivamente na sua história pela porta principal.
É um nome consagrado em todo o Estado do Amazonas. Foi governador por três períodos. O primeiro (nomeado) de 2/11/1890 a 5/5/1891; o segundo, de 11/3/1892 a 22/7/1892 assumindo o governo na condição de 2º vice-governador; e, finalmente, o terceiro período, eleito, de 23/7/1892 a 1896. Maranhense de São Luís, nasceu a 18 de setembro de 1862 e faleceu, em Manaus, a 14 de outubro de 1900, com apenas 38 anos. A principal e mais antiga avenida de Manaus tem o seu nome: avenida Eduardo Ribeiro.