CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de agosto de 2010

POLÍCIA MILITAR DO AMAZONAS (XVIII)

Corpo Policial do Amazonas

O Presidente da Província, coronel Conrado Jacob de Niemeyer (1887-88), modificou a nomenclatura da Guarda Policial, em cumprimento à cláusula do Regulamento n.º 57, de 26 de agosto 1887: “Este corpo denominar-se-á Corpo Policial do Amazonas e terá por fim manter a ordem pública, garantir a segurança individual e de propriedade e auxiliar a Justiça”.
Consumava-se a primeira mudança no título da mais que sesquicentenária Polícia Militar do Amazonas, pois, criada em 1837.
Aquele estatuto não apresentava maiores divergências em conexão aos anteriores. Apenas organizava a Força Policial em duas companhias, ou para facilitar o serviço ou para distribuir com mais coerência o pessoal. De novidade, estabelecia prêmios pecuniários “a todo indivíduo que se alistar no corpo policial (...) se abonará o prêmio de duzentos mil réis que lhe será pago integralmente, quando tiver concluído o tempo de serviço a que se obrigar”.
A iniciativa visava atrair um número maior de policiais, porque o soldo pago exercia escasso atrativo para tão desgastante serviço. Nesse sentido, um dos principais queixumes dos governantes era de que, no comércio, única fonte de emprego fora do governo, remunerava-se melhor.
Apesar de novos tempos e costumes, a questão salarial continua presente na Polícia Militar, basta se observar a expectativa pela aprovação da PEC/300. E, motivo de desconforto na tropa é o pagamento pelo exercício de policiamento prestado sob regras frouxas, premiando sempre os mais próximos.
Com esta denominação, a força policial alcançaria a proclamação da República, quando, o primeiro governador republicano imporia nova designação.

• Comandante Tertuliano Mello

A 7 de setembro de 1887, o Corpo Policial teve novo comandante: Antônio Tertuliano da Silva Mello, capitão de engenheiros do Exército, comissionado no posto superior.
Tertuliano nasceu em 1851 e assentou praça em 15 de setembro de 1870. Como não participou do conflito contra o Paraguai, interrompeu na força policial a série de comandantes oriundos desta campanha. Trata-se de o primeiro oficial da ativa do Exército a exercer este cargo, talvez por essa peculiaridade, integralizou auspiciosa restauração. Desgaste causado pela fragilidade dos antecessores na condução tanto da administração quanto dos policiais.