CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

23 de julho de 2010

Memorial Amazonense XXIX

Julho, 23

1858 – Lançamento da pedra fundamental da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, de Manaus.

1892 – Promulgada a terceira Constituição Política do Estado, pelo Congresso dos Representantes, que disciplina a permanência de Eduardo Gonçalves Ribeiro na direção do govrerno do Estado. Este mandato se estende até 1896. Também em decorrência da Constituição, o Poder Legislativo toma a denominação de Congresso dos Representantes do Estado do Amazonas, composto de 24 representantes com mandato de três anos.



1896Fileto Pires Ferreira assumiu o governo do Estado, em substituição a Eduardo Gonçalves Ribeiro, ambos oficiais do Exército. Por motivos ainda não esclarecidos, renuncia ao mandato, em 1898.

Silverio Nery
1900Silverio José Nery assumiu o governo do Estado e o dirigiu até 1904. quando ocupou a vaga de Senador. Nele se manteve até 1930. Tornou-se o mais importante político do Estado desde o Império, com predominância na metade do século XX. Morreu em 1934.


1904 – Assumiu o governo do Estado, Antonio Constantino Nery, oficial do Exército e irmão do antecessor. Não completa, todavia, seu período governamental, enfermado, deixa o governo em 1907. 


1905 – O Regimento Militar do Estado, a Polícia Militar de hoje, possuía 1100 homens, e nova organização: dois batalhões de infantaria, o corpo de bombeiros e o esquadrão de cavalaria. Seu comandante permanecia o coronel Adolpho Lisboa.
Praça da Polícia, 2010
1907 – inaugurado o ajardinamento da Praça da Constituição, sendo Governador, Constantino Nery, e Prefeito de Manaus, Adolpho Lisboa. Em 1923, esta praça toma o nome de Gonçalves Ledo, sendo Prefeito, Dr. Tristão de Sales. Em 1930, por ocasião da revolução de Vargas, a praça toma a denominação de João Pessoa (político paraibano morto na época, em Recife). No biênio 1938/39, quando Prefeito, Antonio Maia, este logradouro sofre uma divisão, no trecho a partir da rua Marcílio Dias até a rua Guilherme Moreira, tomando o nome de Roosevelt. Hoje, unificada, denomina-se Heliodoro Balbi, ou no popular, Praça da Polícia.

Antonio Bittencourt


1908Antônio Clemente Ribeiro Bittencourt, coronel da Guarda Nacional, assumiu a chefia do Poder Executivo. Seu período governamental ficou marcado por tremendas disputas políticas e desforços militares. Ao final, em 1913, a posse do governador passa para o primeiro dia do ano.





1924 – Irrompeu na Cidade a rebelião conduzida por oficiais do Exército, contra o governo de César do Rego Monteiro que, doente, se curava em Paris (FRA). Após dominar a Polícia Militar e afastar do Executivo o substituto, Turiano Meira, assumiu o governo o tenente Ribeiro Júnior. Durou apenas um mês a bravata, porém, instalou nova ordem no Amazonas. A rebelião passou à história pelo nome deste oficial.


2008 – Realizada a abertura da Mostra Literária do Amazonas, organizada pelo SESC, a rua Henrique Martins - Centro, homenageando o poeta Luiz Bacellar.


2009 – Morreu, em Manaus, Narciso Julio Freire Lobo (foto, à esq. ao lado do autor do blog). Narciso Lobo nasceu em Manaus, em 1949, era professor da Universidade Federal do Amazonas. Graduado em jornalismo pela UFF, cursou mestrado em Cinema e doutorado em Ciências da Comunicação (USP). Publicou "Poemas Amazonas" e participou de diversas antologias poéticas. Em parceria, publicou "Hoje tem Guarany" (1983); "No rastro de Silvino Santos" (1987) e "Viagem ao coração do Brasil" (1994), entre outros. Manteve regular colaboração no jornal A Crítica, de Manaus. Até seu falecimento, manteve um blog na internet. Foi membro do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas e da Academia Amazonense de Letras, eleito em 2003.