CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

28 de outubro de 2014

COMPANHEIRA, ADEUS




Detalhe da lembrança da missa
Ontem, às 19h30, a igreja da Sagrada Família, no bairro do Japiim II, acolheu significativo número de seus paroquianos para uma celebração distinta: despedir-se de uma frequentadora constante e, acima de tudo, abnegada. Na missa da esperança, rezamos pela Afonsina Oliveira (foto).

Ao final da missa, foi lido o texto abaixo (ao qual acrescentei pequenos detalhes), que mostra ainda que candidamente a trajetória da “companheira” (como eu e muitos a tratavam).

De suas exposições fotográficas, em Manaus, de sua produção literária em versos, ilustrada pela fotógrafa competente, prometi aos familiares reunir em uma publicação.Que espero seja breve.

Agora, ao texto:


Afonsina Lopes de Oliveira, aos 60 anos, divorciada, deixa em vida a filha Darlene e uma neta, as irs Marli, Marilia e Salete, vários sobrinhos e uma batelada de amigos e admiradores.
Moradora da rua A 14, no Japiim II, onde cultivou boas amizades com seus vizinhos, por ser uma pessoa carismática, deixa saudades entre seus parentes e amigos.
Em vida, foi Bancária por mais de 20 anos. Por ser uma política engajada, foi candidata à vereadora de Manaus. Amante da fotografia, fez várias exposições. E não foram poucas as oportunidades em que participou de atividades na Academia de Letras amazonense.
Admirava as artes, razão pela qual participou de vários cursos e, em cada lugar que passou plantou uma semente nova de amizade.
Foi ótima mãe, dedicada tia e, na sua casa, casa de avó, cuidava e zelava com o amor ao seu jeito, às vezes, diverso de nosso entendimento, mas com o qual já estávamos habituados.
Temos muitas saudades de você, tia Palhaçada, ou como muitos a conheciam – Companheira. Sabemos que somente o tempo nos ajudará a amortecer essa saudade, sofrimento e angústia que nos abala diariamente.
O tempo será como bálsamo para sarar essa chaga que está aberta em nossos corações. Mãe, sempre mãe, palavra pequena, mas cheia de graça, de amor e saudades.
Afonsina, são tantas coisas bonitas que queremos expressar, mas neste momento, ficam sufocadas em nossos peitos. Mas, o que nos consola é o tempo que nos
dedicaste quando em vida, com tua alegria, teus ensinamentos, teu exemplo de mulher, de mãe batalhadora e guerreira.
Por isso, e muito mais, estarás sempre viva e presente em nossas memórias.
Desejamos que descanses em paz, nos braços de Nossa Senhora e de nosso Pai. Em breve iremos todos nos encontrar para realizar uma grande festa no reino do Céu.
Nossos sinceros agradecimentos a todos os parentes e amigos que nos acompanharam durante o tempo em que nossa “Companheira” esteve doente, quanto no funeral.
"Do pó viemos e ao pó voltaremos” (Gen 3:19).