CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

21 de novembro de 2014

CLUBE DA MADRUGADA: 60 ANOS | 8


Detalhe da página da revista Madrugada

Na véspera do aniversário do Clube da Madrugada, outro presente, ainda retirado da revista Madrugada, que se anunciava uma PUBLICAÇÃO BIMENSAL  ANO I NUMERO I NOVEMBRO DE 1955 MANAUS - AMAZONAS - BRASIL
 
Ilustram a postagem, a explicação para a contracapa de Afrânio Castro. Fizemos pequenos reparos na publicação, em especial, o nome do autor do poema, onde se lia Luis, ao invés de Luiz Bacellar.


Nossa Contracapa

Apresentamos, neste número de MADRUGADA, como nossa contracapa um trabalho em nanquim, do nosso associado Afrânio Castro, que serve de ilustração ao poema do poeta Luiz Bacellar, publicado em outro espaço de nossa revista.
A referida ilustração do poema O GATO, num desenho cubista simboliza, mais de perto, os versos de Luiz Bacellar, que transcrevemos abaixo: 

O GATO permanece estático no tempo
e se faz dinâmico na memória
enquanto fumo o cigarro inglês:
esfinge —

Detalhe da ilustração
É de se notar o trabalho do nosso companheiro Afrânio Castro que apresenta similaridade com a técnica do pintor espanhol Salvador Dali. Não se prendendo, todavia, estritamente àquele artista, mas criando uma técnica e concepção toda sua que servem para aquilatar todo o seu talento.
Presentemente, Afrânio Castro, encontra-se na capital de São Paulo, para onde transferiu-se em busca de aperfeiçoamento, como também, a procura de valorização para o seu trabalho, que aqui, em nossas plagas não encontra repercussão pela ausência de fundamento cultural daqueles que poderiam prestigiá-lo.
Com seu talento e capacidade de trabalha inexauríveis, temos certeza absoluta, da vitória significativa que Afrânio Castro alcançará na terra bandeirante.
Ao nosso companheiro, portanto, os votos de felicidade, nessa senda difícil da vida do artista. Madrugada o abraça espiritualmente.