CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

31 de janeiro de 2013

CORONEL PEDRO CÂMARA



Coronel Câmara agradecendo
A associação dos coronéis da Polícia Militar do Amazonas antecipou para hoje seu almoço de confraternização, que ocorre mensalmente, para celebrar o aniversário do “chefe”.
Pedro Câmara completa hoje 74 anos, coronel da reserva há duas décadas, mantem-se bem informado no convívio com os velhos companheiros. Para tanto, não perde nenhuma dessas reuniões.
Nascido em Natal (RN), como bom nordestino migrou para a Amazônia, pois primeiro estagiou na capital acreana, antes de chegar a do Amazonas. Em tempo do serviço militar, serviu no legendário 27 BC, aonde alcançou a graduação de cabo. Logo conquistou uma vaga na Polícia Civil, ao mesmo tempo, outra na Polícia Militar. Tudo isso no distante ano de 1960.
Antes de aproveitar o serviço do Gaucho´s, houve a tradicional saudação, encaminhada pelo coronel Osório Fonseca, que presenteou o aniversariante com uma coleção de Fafá de Belém.
Falei em seguida, lembrando duas datas importantes na historia da PMAM, das quais o coronel Câmara participou como figura marcante, indelével. Há 40 anos, lembrei, quando a PMAM incorporou o serviço de combate a incêndios em Manaus. Até então esta obrigação cabia a Prefeitura de Manaus. O então major Câmara assumiu este comendo dos homens do fogo e, desde então, não esqueceu a faina e se emociona com os atuais comandados do coronel Dias.
A outra efeméride, para mim, mais importante, assinala os 50 anos, completados em dezembro passado, que a PM amazonense recebeu a primeira turma de oficiais formados em Escola de Formação de Oficiais. A turma (Pedro Câmara, Pedro Lustosa e Hélcio Motta) concluiu o CFO na PM da Guanabara, hoje Rio de Janeiro.
A citação de seu nome à frente decorre da prerrogativa de ter sido o primeiro entre os amazonenses. Entre militares, tal privilégio é respeitado, enfatizei aos colegas que o coronel Pedro Câmara é primeiro oficial assim formado na força militar estadual.

Tempo para a receita do Dr. Aristoteles

Cavalacanti, o administrador

Antes do almoço, por isso os pratos vazios

Sua trajetória pela corporação foi marcante, aonde conquistou amigos, tantos que hoje foi batido o recorde de presença. Vamos lá, foram 33 coronéis, incluído o chefe. Deusamar Nogueira / Odorico Alfaia / Osorio Fonseca / Romeu Medeiros / Amilcar Ferreira / Paulo Roberto Vital / Ruy Freire / Abelardo Pampolha / Mael Sá / Aristoteles Comte / Gutemberg Soares / Eber Bessa / Celio Silva / José Cavalcanti / Valente Pereira / Fernando Oliveira / Pereira da Encarnação / Edmilson Nascimento / Alfredo da Matta / Ewerton Amaral / Marinho Alcântara / Paulo Ramos / Gilson Nonato / Claumendes Cardoso / Frandemberg Maues / Cabral Jafra / Edson Nascimento / Nestor Arnaud / Ary Renato / Torres Araújo e Roberto Mendonça.
Devo registrar também o aniversário do coronel Franz Marinho de Alcântara, que por anos comandou o Corpo de Bombeiros, nessa nova etapa, ou seja, desvinculado da PMAM.
Ex-comandantes Amilcar e Medeiros

Momento de antigas (bem antigas) lembranças

Corone lPaulo Vital, secretário de Segurança, presente