CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

31 de março de 2010

Memorial Amazonense

Março, 31

1931 – Manoel Severiano Nunes é nomeado Prefeito de Itacoatiara. No entanto, em 9 de Set., solicita demissão e é substituído pelo bacharel Manoel José Machado Barbuda.


1964 – É implantada no País a denominada Revolução Democrática Brasileira, gerida por militares federais, que assumem o Poder Executivo. O movimento impôs ao País e, conseqüentemente, ao Amazonas a renovação de quadros políticos. Promove alguns benefícios sociais, a despeito dos entraves constitucionais impostos aos brasileiros. Nesse periodo é consolidada a Zona Franca de Manaus.
No Estado, foram presos alguns “comunistas”, sem que se tenha registro de espancamentos e torturas. Alguns políticos foram cassados, destacando-se o governador Plínio Ramos Coelho, o ex-governador Gilberto Mestrinho e os deputados estaduais Anfremon Monteiro e Arlindo Porto. Alguns presos permaneceram no Quartel da Praça da Polícia, outros, no Quartel do 27.º BC, situado no bairro de São Jorge. Em nossos dias conhecida por Ditadura Militar, esta durou até 1985.

                             O Jornal. Manaus, 31 Março
1970 - Abertura ao tráfego da Rodovia Presidente Costa e Silva, inaugurada no dia anterior. Na verdade, é uma larga avenida iniciada no bairro da Cachoeirinha para atingir o aeroporto de Ponta Pelada. Hoje, é conhecida por avenida Silves. A foto mostra ao fundo o cruzamento desta com a rua Maués, sobressaindo o depósito da Bemol.







1970 - Instalação da Base Aérea de Manaus, em solenidade presidida pelo marechal-do-ar Marcio de Souza Mello, ministro da Aeronáutica, depois vice-presidente do País.
O Jornal. Manaus, 31 Março.



1974 – Fundação do Hospital de Moléstias Tropicais, situado na avenida Pedro Teixeira, bairro do Planalto. Em 1979, é transformado em Instituto de Medicina Tropical de Manaus. Atualmente, ainda no mesmo endereço, é uma fundação.

1985 – Dom Clóvis Frainer, nascido em RS, e transferido da diocese de Coxim (MT), assume a arquidiocese de Manaus, tornando-se o quarto arcebispo metropolitano de Manaus.

2005 –  Narciso Julio Freire Lobo é empossado na Academia Amazonense de Letras, na Cadeira 15, de Graça Aranha. Nascido em Manaus, graduou-se em jornalismo pela Universidade Federal Fluminense. Realizou o Mestrado (1984) e Doutorado (1997) na USP. Autor de A tônica da descontinuidade: cinema e política em Manaus nos anos 60. Com Selda Valle, publicou Hoje tem Guarany e No rastro de Silvino Santos. Morto em julho de 2009.