CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

8 de março de 2010

MEMORIAL AMAZONENSE

MARÇO, 9

1882 – Assume o comando da Guarda Policial, atual Polícia Militar do Amazonas, João Manoel Dias, tenente do Exército. Dias era natural do Rio de Janeiro, nascido em 1826. À época, a Guarda seguia comandada por oficiais oriundos de campanhas militares. O empossado é, também, oficial envolvido na Expedição ao Rio Grande do Sul (1851-1852) e na Campanha do Uruguai, desta recebe a “Medalha de zinco com fita verde”.


1926 – Hamilton Mourão assume o cargo de desembargador do Superior Tribunal de Justiça do Amazonas, como era então designado. Exerce a presidência da Alta Corte nos biênios de 1931-1932 e 1935-1936 e, finalmente, em 1941. Morre em Manaus, a 24 de setembro de 1942. Oriundo do Piauí, Mourão desembarca em Manaus, em 1910, após ter sido graduado pela Faculdade de Direito do Recife (1909).






1926 – Nasce em Parintins (AM), Afonso Celso Maranhão Nina, filho de Raimundo Gonçalves Nina Filho e Corina Maranhão Nina. Foi inicialmente professor de ciências naturais e, posteriormente, diretor do Colégio Estadual do Amazonas.

1971 – O Colégio Estadual do Amazonas é transformado em Unidade Educacional (UE), por efeito do decreto nº 2064, sancionado pelo Governador Danilo Areosa (1967-1971). No entanto, Henoch Reis (1975-1979), que o sucede no governo, devolve àquele estabelecimento de ensino tradicional, por disposição da lei nº 1150, de 3 de dezembro de 1975, a nomenclatura de Colégio Amazonense Dom Pedro II. O Governador José Lindoso (1979-1982), porém, transforma-o em Unidade Educacional Centro II. Outras tantas mudanças foram impostas ao Liceu Provincial, a denominação original. Mais detalhes em Colégio Amazonense D. Pedro II (Carmélia Esteves de Castro), Série Memória da Secretaria de Estado da Cultura.