CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

6 de março de 2010

MEMORIAL AMAZONENSE

MARÇO, 7

1878 – Rufino Enéas Gustavo Falcão, barão de Maracajú, coronel de engenheiros assume a presidência e o Comando das Armas da Província do Amazonas. Permanece nesses encargos até 25 de agosto de 1879.

1964 – Instalação do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), criado por disposição ministerial a 2 de março. Trata-se de organização do Exército destinada a especializar militares para, no comando de frações, melhor combater na selva. O primeiro comandante foi o tenente-coronel Jorge Teixeira de Oliveira (1921-1987). O comando está aquartelado no bairro de São Jorge, pouco adiante do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS). Há, todavia, outras bases de treinamento na selva. Na época, início do governo militar, havia uma necessidade mais ampla de qualificar o pessoal militar para a defesa da Amazônia. Mas, diante de nova realidade, o CIGS vem se adaptando aos novos encargos da defesa regional.
Igualmente, promove uma aproximação com a gente de Manaus. Em 1999, o primitivo zoológico recebe auxilio governamental e, estruturado de acordo com a legislação ambiental, se torna atração. E, até uma feira comunitária funciona em seus limites. Ainda em 1999, a organização toma a denominação de Centro Coronel Jorge Teixeira, em justa homenagem ao seu primeiro comandante.