CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

9 de março de 2016

EDUARDO JORGE MARINHO DE QUEIROZ

Eduardo no Seminário, em Manaus
Em conversa com o amigo professor José Nogueira, também ex-seminarista no saudoso prédio da Rua Emilio Moreira com Avenida Ramos Ferreira, lembramos do Eduardo Jorge, oriundo de Altamira, no Pará. Colega competente. Tanto que a reitoria do Seminário São José o promoveu nos estudos, sem que fosse necessário frequentar, ou seja, o Eduardo “pulou” uma das séries. Eduardo ingressou no colégio dos padres acompanhado de seu colega Haroldo Calado Rebelo, de Porto de Moz, no Xingu paraense.
Concluído o curso do seminário menor, que compreende hoje o atual curso médio, ele foi deslocado para o Recife, a fim de frequentar no Seminário Regional do Nordeste o curso de Filosofia e, na sequência, o de Teologia e, por fim, o sacerdócio. Este o Eduardo não alcançou, pois encerrada o primeiro curso, permutou o ensino religioso pela vida acadêmica. Nesta, nunca mais deixou de crescer prosperar.
O complemento de seu respeitável currículo acabo de sacar da Internet, e aqui o reproduzo com a minha admiração ao conceituado discente do São José, na longínqua década dos 1960. Com a minha saudação aos seus 70 anos.

Este texto constituiu a saudação proferida em 25 de setembro de 2008, ao então Governador do Rotary Internacional, Distrito 4500–PE/PB/RN - Eduardo Jorge Marinho de Queiroz, pela direção do Rotary Club de Campina Grande (PB).


Companheiro Governador,

Você nasceu em Altamira, estado do Pará, em plena selva amazônica, a 740 km de Belém e 458 km de Marabá, município detentor de um vasto território cortado de norte a sul pelo rio Xingu. Altamira possui 161.445,9 km2, o que o torna o maior município do Brasil e do mundo em extensão territorial. Se o município de Altamira fosse um país, seria o 91º país mais extenso do mundo, maior que Grécia e Nepal e quase do mesmo tamanho que Tunísia, Suriname e Uruguai. Se fosse um estado brasileiro, seria o 16º maior, um pouco menor que o Paraná e maior que o Acre e o Ceará. Nasceu convivendo com a agricultura (arroz, cacau, feijão, milho, pimenta do reino) e a extração de borracha e castanha-do-pará.

Sua terra natal teve origem nas missões dos jesuítas, na primeira metade do século XVIII. Altamira integrava o gigantesco município de Sousel, do qual foi desmembrado em 27 de setembro de 1917, passando a chamar-se Xingu, com sede na cidade de Altamira. Em 31 de março de 1938 mudou-se o topônimo do município para Altamira. Teve um acentuado desenvolvimento com a exploração do ouro até começo do século XX.

Foi lá que você veio ao mundo há 62 anos [1946], em um clima equatorial. Você teve como visão um imenso cenário emoldurado pela natureza que é pródiga em tudo. Respirou por um pulmão que abastece não só uma nação, mas parte do universo. Teve uma educação com forte influência religiosa. Concluiu 1º e 2º graus nos Seminários das Arquidioceses de Belém-PA e Manaus-AM. Aos 20 anos, já no Recife-PE, formou-se em Filosofia no Seminário Regional do Nordeste. Uma forte vocação para a religiosidade. Em 1976, graduou-se em Ciências Econômicas na UFPE.
Posteriormente, na Valderblit University (USA) obteve o grau de Master in Economics, além de cursos de pós-graduação e especialização em Operations Management-Finance, na mesma Universidade, e, em Financial Analysis and Management Control, no Institut Pour L´Étude des Methodes de Direction de L´Éntrepise-Lausanne, Suíça.

Foi executivo durante 25 anos em empresas de grande porte. Atualmente é consultor empresarial, especializado em projetos industriais, estudos de viabilidade, “mergers”, precificação de empresas, sistemas informatizados de custos gerenciais, formação de preços de venda e planejamento econômico-financeiro.

Foi professor da Unicap e da UFPE – graduação e pós-graduação – e, atualmente leciona Contabilidade Gerencial, Contabilidade de Custos, Matemática Financeira e Estratégia de Preços na Faculdade Europeia de Administração de Marketing (IPAM – Instituto Português de Administração de Marketing).

Ex-bolsista da Fundação Rotária (1974-1975) do ELS (English Language System - Washington D.C.), tornou-se sócio do Rotary Club Juazeiro/Petrolina (1979/1981) e seu presidente (1980/1981). Desde 1992 é sócio do Rotary Club Recife-Brum, onde exerceu diversos cargos no Conselho Diretor, presidindo-o no ano rotário 1997/1998.

Foi Chairman Distrital do Intercâmbio Internacional de Jovens (1993/1997), participando ativamente de diversas conferências, como moderador e painelista, além de chairman da XVI Conferência Brasileira do Intercâmbio de Jovens do Rotary (Recife, nov. 1996).

No mesmo Programa, participou de convenções e conferências internacionais, proferindo palestras em inglês e francês e atuando como painelista, a saber: Convenção Internacional de RI – Taipei – República da China; EEMA – Johannesburg, África do Sul; Convenção Internacional de RI – Nice – França; Central States Multidistric – Gran Rapids, MI, USA e Convenção Internacional de RI – Calgary – Canadá.

Foi também membro da Comissão de Registros da Conferência de Chairman do Intercâmbio de Jovens (Findings Committee da YEO – Youth Exchange Officers´Conference); ESSEX Multidistrict – Freensburg, PA, USA; Convenção Internacional de RI – Glascow, Escócia e Conferência dos Dirigentes de Intercâmbio de Jovens do Rotary (Rotary Youth Exchange Officer´s Conference).

Já como Governador eleito do Distrito 4500 de Rotary Internacional 2008-2009, participou do GETS, em Belém-PA (set/2007,) e da Assembleia Internacional, em San Diego – Califórnia, USA (jan/2008).
Eduardo Jorge e esposa

Seus hobbies são a leitura, a computação e a música (cavaquinho/violão). É casado há 38 anos com a muito elegante e distinta companheira Oneide Bessa de Queiroz, também rotariana do RC Recife-Brum – classificação Advocacia Pública – com quem possui quatro filhos e cinco netos.

Deixa a Veneza Brasileira, cercada por rios e cortada por pontes, cheia de ilhas e mangues que magnificam sua geografia ao nível do mar, para subir a Serra da Borborema, em pleno agreste com seu clima tropical para ser recebido pelo povo acolhedor deste compartimento entrecortado formando um piemonte, que é pródigo no bem servir.

Seu espírito está impregnado de eflúvios generosos e sons. Eflúvios generosos por respirar Rotary; sons para dar movimento, cor e vivacidade ao movimento rotário.

Você já tem o lirismo destes ares tão suaves para lhe amenizar a longa caminhada; Você tem a inspiração das grandes perspectivas que lhe ensinam a olhar do alto; Você tem a companhia, a fidalguia e a sensibilidade da distinta e elegante senhora e companheira Oneide Bessa de Queiroz; Você é o pássaro dos mais altos remígios nesse ninho que é o Rotary.

Apraz-nos e honra-nos recebê-lo Governador. Haveria de ter um sem número de companheiras e companheiros representativos, pela inteligência, pelo trabalho e pela boa vontade, desprendidos, dando foros de desenvolvimento e merecida pujança a uma instituição que carece de renovação em muitos quadros. Renovação com solidariedade e sentimento. Você faz parte desse bendito agrupamento.

Sinta-se em casa, aqui nos contrafortes desta serra saudável que inventou um clima europeu em pleno verão tropical. Respire nestas alturas, acumule energias para sua longa caminhada e prossiga com a mesma determinação. E volte, volte sempre, mas antes deixe seu coração e o coração de Oneide residindo aqui nesta cidade-rainha, que é pródiga na hospitalidade e no bem querer.

Muito Obrigado e nossas Saudações Rotárias.

Hiram Ribeiro dos Santos
Secretário do RC Campina Grande