CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

25 de dezembro de 2015

MENSAGEM DE NATAL


Kopenhagen, Natal 2003
Esta Mensagem tem uma pequena história: foi-me enviada pelo meu irmão Renato para saudar o Natal de 2006. Entretanto, por motivos de desacertos da informática, ou mais certo por falta de conhecimentos, estes votos chegaram ao destino neste ano. Por isso, faço dela tema desta postagem.
Aproveito para ilustrar com algumas fotos de passagens natalinas. Para aquele que passar por esta página, registro meus votos (atuais) de toda alegria e de bonanças que o saco do Noel carrega.

Betânia, Natal 2009



Igarapé de Manaus, Natal 2009
Morro da Liberdade, Natal 1986

Brasília, Natal 2008


Largo de São Sebastião, Natal 2008


Caro mano Roberto

Estou um tanto soturno e calado. Preguiçoso, poderia se dizer também. Na verdade, os compromissos me tomam o escasso tempo. Posso ser acusado de não colaborar com ele, no entanto ele também não tem cooptado comigo. E este final de ano tem sido uma verdadeira roda-viva. Não reclamo dos afazeres e atributos que temos que cumprir, reclamo das mazelas da vida que nos têm acometido. 
Primeiro, foi a perda prematura do Robertinho. Um garoto com tantas virtudes e coração tão bom não deveria nos deixar assim tão rápido. Nas poucas ocasiões que tivemos, pude perceber a magnitude da sua dedicação e respeito. Senti, como nunca, a verdadeira hospitalidade. E a notícia do seu falecimento me deixou abalado. Mesmo se quisesse te confortar não teria forças nem palavras pra dizer, apenas sentir como um tio abatido pelo infortúnio. 
Agora, de um mês e pouco pra cá, foi a Bela. Essa companheira de tantos anos 31, para ser mais exato teve um AVC. Isso a deixou com sequelas, e tem nos deixado apreensivo quanto a sua recuperação. Não temos envidado esforços, mas mesmo assim a recuperação é lenta e imprevisível. Tenho muita fé em Deus, e sei que esta provação pode ser superada, mas às vezes nos causa certo desânimo, mormente neste momento de festas natalinas. Aquela mulher ativa, cheia de vigor e de vivacidade, não existe mais. Agora está dependente de auxílio e apoio. Ainda bem que a recuperação física está caminhando bem, já anda bem e não depende mais de alguém para ajudá-la. 
Papai está em Barra Mansa desde sábado passado, e eu não tive tempo de visitá-lo. Estou apostando comigo mesmo que possa vê-lo antes do Natal. Seria o mínimo que teria que fazer. 
Aproveito o email para te desejar os melhores votos, todos os votos de saúde, muita saúde, e tanta saúde pra você e toda a família.
Um abraço a todos, e fiquem com Deus. Renato Mendonça