CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

16 de dezembro de 2013

CINQUENTANOS (4)



Padre Nonato Pinheiro, em A Notícia, 1975
Quatro lembranças afluem nesta publicação: o matutino O Jornal que, então predominava na imprensa amazonense, hoje desaparecido; o padre Nonato Pinheiro, presente com seus escritos nas páginas do periódico da família Archer Pinto; o aniversário do deputado Roberto Jansen, jornalista de respeito, que desapareceu pelo caminhos de Brasília; e, por fim,  a homenagem aos 15 anos de Maria das Graças, filha de Osmar Pedrosa.
Apenas não se tem notícia do falecimento desta debutante, os demais já passaram à eternidade.
Aproveito para anunciar que uma equipe de abnegados trabalha no espólio literário do saudoso acadêmico padre Nonato Pinheiro. A intenção é republicar esse material, a partir do próximo ano, quando este sacerdote completa 20 anos de falecimento.
Dois poemas desse legado são aqui expostos. Curiosamente, ambos completam 50 anos; aquele que saúda o aniversário do deputado ocorreu ontem. O da princesa rosa, amanhã.  
Aniversário
O Jornal, 15/12/1963 

Para o amigo deputado Roberto Jansen,
pela passagem do seu aniversário 

 

O dia em que nascemos é festivo,
E ao voltar cada ano o celebramos,
Inda que a vida traga desenganos
E duras provações, sem lenitivo... 

E quantas vezes fico pensativo,
A contemplar o decorrer dos anos,
Na maioria autênticos tiranos,
Com seu jugo fatal e imperativo... 

Quem não tem sua cruz e seu Calvário,
Contando as horas cheias de amargura
No relógio de um triste campanário?! 

E apesar disso a ingênua criatura
Inda festeja o seu aniversário,
Que é mais um passo para a sepultura!...
 

O botão de rosa 

O Jornal, 17/12/1963
 

Comemorando os quinze anos de
Maria das Graças de Assunção Pedrosa 

 

Após risonha e leda meninice,
Quinze anos de existência hás alcançado.
Conservando esse raro predicado
De ser mulher sem nímia faceirice. 

Na  graça da ternura e da meiguice
Manténs o coração alcandorado,
E sei que guardarás como legado
As virtudes cristãs de Dona Eunice! 

Que os céus te mandem bênçãos, ó Maria,
Para seres no mundo venturosa,
Nobre na dor e sóbria na alegria! 

De ouro se banha o lar de Osmar Pedrosa,
Porque na luz de tão festivo dia
Um  mimoso botão tornou-se rosa!...