CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

8 de setembro de 2015

NOTAS SOBRE A PRAÇA DA POLÍCIA

Ilustração publicada no Relatório
Extraído do Relatório da Comissão Organizadora do Tombo dos Próprios do Município, publicado ao final de 1920, por determinação do superintendente (prefeito) Basílio Torreão Franco de Sá.

O local atualmente é denominado de Praça Heliodoro Balbi, mas o povo o conhece por Praça da Polícia, devido ao quartel ocupado pela corporação militar estadual no entorno desta por décadas.


Nº 23
JARDIM DA PRAÇA DA CONSTITUIÇÃO

A construção deste jardim foi determinada em 1906, pelo superintendente Coronel Adolpho Guilherme de Miranda Lisboa, em uma área de 6.600m2 contendo um pavilhão de ferro erguido sobre alvenaria de pedra, diversas estatuetas também de ferro e sobre pilastras de alvenaria, um lago artificial cortado por uma ponte de cimento armado, uma gruta com cascata, um chalé de alvenaria de tijolo, para guarda de ferramentas, e uma fonte de ferro fundido.

No pátio do Regimento Militar do Estado foi montado um cata-vento para fornecer água à cascata.
A 23 de julho de 1907, o superintendente interino, Coronel José da Costa Monteiro Tapajós, perante as autoridades do Estado e de grande massa popular, declara inaugurado e entregue ao público este jardim.

Em 1911, o superintendente Dr. Jorge de Moraes, manda proceder os serviços de restauração do chalé, do pavilhão, dos mictórios, pintura das estatuetas e remodelação do ajardinamento.

Em 1914, o superintendente Dr. Dorval Pires Porto, manda remodelar este próprio, dotando-o com cinco ficus benjamin, 30 roseiras e 190 exemplares de plantas de natureza vária, e entrega-o aos cuidados e zelo dos alunos do Ginásio Amazonense.

Em 1920, o superintendente Dr. Basílio Torreão Franco de Sá determina ao engenheiro-chefe da 3ª Seção que administrativamente procedesse a restauração deste logradouro, dando novo traçado ao seu ajardinamento, nova distribuição de luz e dota-o com 77 bancos.

Detalhe da praça com o antigo quartel da PMAM, ao fundo