CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

7 de novembro de 2013

JORGE DÓRIA: MORTE



Jorge Dória
Compartilho com Rogel Samuel a publicação sobre a morte do ator Jorge Dória, especialmente, pela ligação deste com o Amazonas, via seu avô Fileto Pires Ferreira. Fileto, oficial do  Exército, foi governador do Estado (1896-98), após a administração de Eduardo Ribeiro.
Deixou duas marcas em sua gestão: a forma como chegou e deixou o Poder Executivo. Na posse, foi eleito pela Assembleia em golpe engendrado pelo antecessor; na saída, levou uma rasteira dos deputados, que aceitaram sua "renúncia" em documento forjado.
A segunda marca, porém, foi perene. Como acentua Rogel Samuel, teve o privilégio de inaugurar o Teatro Amazonas, obra que segue imponente marcando a metrópole cabocla.
 
MORRE JORGE DÓRIA, NETO DE FILETO PIRES FERREIRA 

ROGEL SAMUEL 

Morre Jorge Dória (Jorge Pires Ferreira), filho de Alkíndar Pires Ferreira, filho de Fileto Pires Ferreira.
Túmulo de Pires Ferreira, cemitério
do Caju - Rio
Jorge Dória era neto de Fileto Pires Ferreira, ex-governador do Amazonas, que inaugurou o nosso Teatro Amazonas, em 1896.
Quando estávamos pesquisando os fatos para escrever o nosso romance “Teatro Amazonas”, tentamos falar com ele, mas Jorge Dória já estava doente, e não nos pôde ajudar.
Jorge Dória viveu na própria casa de seu avô, no Maracanã, onde seu pai vivia.
Segundo o Dr. Edgard Pires Ferreira, Jorge Dória tinha informações preciosas sobre o avô. Mas o passado morreu com ele.

Ficou, imponente, o majestoso Teatro Amazonas, obra de seu avô e de Eduardo Ribeiro.